segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A GRAÇA DE DEUS NA VITORIA SOBRE A MORTE


Pastor Anderson Magno

REFERÊNCIA BÍBLICA

I Coríntios 15. 1 – 11
 
Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo. Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim haveis crido. Ora, se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.
E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam.
 

 

INTRODUÇÃO:

Neste sermão, vamos observar que o tema ressurreição do corpo ainda mexe com os homens e mulheres pelo mundo. Pois, se a ressurreição não exprime uma verdade, então a ressurreição de Cristo não teria sido uma realidade. E é justamente isso que Paulo queria mostrar para o povo.

 

DESENVOLVIMENTO:

A igreja em Corinto estava passando por um momento difícil e complicado. Visto que surgiram no meio deles, alguns cristãos com pensamentos gregos que não acreditavam que haveria ressurreição do corpo após a morte.

Paulo começa a relembrar à comunidade todo seu esforço, e também a sua dedicação para ensinar e valorizar a ressurreição do corpo, mas principalmente valorizar a ressurreição de Jesus Cristo. Já que alguns desses cristãos não eram capazes de entender sobre o conceito da ressurreição. Sendo assim, Paulo insistiu de lembrá-los o seguinte: aceitar o que foi dito do Messias anunciado já era um primeiro passo para uma vida de graça e comunhão.

Visto que era comum esse ensino no meio dos religiosos e principalmente entre os cristãos. Pois, quando negamos a ressurreição de Cristo, estamos negando a nossa fé.

Paulo cita alguns encontros com o ressurreto Jesus que valoriza ainda mais a importância da ressurreição para eles e mostrando que ainda existiam testemunhas vivas para que se pudesse confirmar a verdade sobre a sua ressurreição. Então cinco aparições espetaculares aos olhos humanos ao qual qualquer crente poderia averiguar, por si mesmo, os fatos. Pois, existiam ainda testemunhas vivas para confirmar esse fato.

Mas numa tentativa de mostrar a importância e valorizar o assunto, Paulo faz questão de lembrá-los do seu grande encontro com Cristo Jesus Ressurreto dentre os mortos. Porém, qual seria a razão de Paulo em explicar mais uma vez esse encontro com aquelas pessoas?

Eu vou responder… É para Manifestar a Glória de Deus.

A obra maravilhosa que o próprio Jesus ressurreto fez na vida de Paulo… Pois, foi o próprio Messias que lhe chamou e capacitou para a obra. A obra de pregar as boas novas, uma vez que, Paulo reconhecia que foi um homem difícil, complicado e perseguidor de Cristãos.

Entretanto, a proposta desse sermão é valorizar a ressurreição de Cristo Jesus a traves da pregação, ensino de Paulo para a comunidade de Corinto. Baseando em algumas expressões de fé e esperança para essa mesma comunidade.

Então, deixo aqui três conceitos para nossa reflexão:

LEMBRAR: Que Deus é parte constante do Cristianismo nos dias de hoje. Não podemos esquecer-nos da promessa que nos foi revelada. Que haveria alguém para mudar a nossa sorte e esse alguém iria morrer pelos nossos pecados e ressuscitar ao terceiro dia para mostrar a Sua Glória através de Deus Pai criador de todas as coisas.

ANUNCIAR: Do nosso Senhor Jesus Cristo em suas atividades, ações, vida, morte e principalmente a Sua ressurreição. É um anuncio maravilhoso, e ao qual temos que continuar. Porque ainda existem pessoas que não acreditam na ressurreição de Jesus Cristo e cabe a cada um de nós, anunciar o evangelho da ressurreição. Amém!

PERSEVERAR: Que na verdade é continuar, acreditar, assim como Paulo acreditou e não deixou de pregar as boas novas para aqueles que estavam fracos na fé e duvidosos com a sã doutrina que através dos profetas e de Paulo foi anunciado essa Graça de Deus na vitoria sobre a morte.

COCLUSÃO:

A ressurreição de Cristo na verdade é fundamental para nós… Principalmente por mostrar o grande amor de Deus por todos. Por que realmente, Ele existe e é criador de todas as coisas. E sendo criador de todas as coisas, Ele é capaz de tirar e dar vida. Uma vez que, Ele tem poder de ressuscitar os mortos.

Já que Ele pode reverter o horror que a morte é… Ao ressuscitar Cristo dos mortos, Deus usa a Sua soberania sobre a morte e vida. E cabe a cada um de nós, lembrar, anunciar e perseverar na nossa fé. Pois, Cristo vive e está conosco todos os dias. Se você crer aplauda ao SENHOR que é digno de todo Louvor e Glória.

Cristo vive está muito vivo no meio de nós e eu creio e anuncio essa verdade. Amém!

 

Sermão de prova: 05 de Abril de 2012 e adaptado dia 20 de Dezembro de 2014.

 

 

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

MUDANÇA DE VIDA


Texto Motivador: Efésio 2. 1 – 10

Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

 

Introdução: É interessante observar a nossa vida. Quando olhamos para traz e prestamos atenção nas coisas que fazíamos, praticávamos, dizíamos e pensávamos. Hoje, porém, não foi diferente. Certo dia, quando liguei a TV , ouvir uma ministração maravilhosa de uma missionária que estava pregando sobre ser cristão e que isso representava. Depois, fui ouvir um pouco de rádio e mais uma vez, Deus veio e me surpreendeu com uma palavra sobre boca que abençoa e boca que amaldiçoa.

         Isso me fez pensar certo dia à tarde neste texto de Efésios. Pois, o titulo da minha Bíblia diz assim “Do pecado para a salvação da Graça”. Mas, o que é graça? A Bíblia nos relata que é favor que não merecemos por Deus.

         E aqui, chamo atenção para o seguinte: Mesmo dentro de uma capa de crente… Às vezes ou quase nunca vivemos e nem praticamos o evangelho puro.

Desenvolvimento: Muitas vezes amados e amadas, usamos textos bíblicos nas nossas liturgias que fala um pouco sobre isso (ser salvos, entrar no sobrenatural de Deus). Ou seja, homens e mulheres que mesmo vendo o agir de Deus, o agir de Cristo Jesus e também as ações do Espírito Santo na vida e no ministério deles murmuravam e questionaram o sobrenatural e o extraordinário de Deus.

         Entretanto, neste momento desejo lembrar cada um de nós que: mesmo com tantas dificuldades e problemas, Deus nos ama e não abre mão da gente. Você crer nisso?

         Uma vez que, quando estávamos mortos, tristes, desanimados, caídos pelos caminhos e as coisas do mundo nos chamava atenção como bebidas, cigarros, traição, adultério, desonestidade, falta de caráter e falta de compromisso… Ele nos trouxe a vida, Ele nos levantou e segurou em nossas mãos e nos tirou desse ambiente. Amém!

Pela sua grande misericórdia nos chamou e nos amou de uma forma que nos constrange até hoje e é impossível não reconhecer esse amor e cuidado por nós. Pois, mesmo fraco e caído, Ele cuida e deseja verdadeiramente nos salvar. Tirando-nos do caminho do pecado e nos colocando no caminho da Sua Salvação.

Tirando do caminho da escuridão e nos trazendo para a luz… Essa Luz que é Cristo (Teu Filho Amado) que morreu por nós. Que pelos nossos muitos pecados e ofensas morreu em nosso lugar. Mas, que Pela Glória de Seu Pai, no Terceiro dia ressuscitou e está assentado a direita de Deus, o Nosso Deus o Todo Poderoso.

E essa é a imagem que temos que ter nas nossas mentes e também nos nossos corações… A certeza que um dia, vamos está do lado d`Eles conversando e brincando e dizendo que Eles são Santo, Santo e Santo… Amém?

Você crer nisso? Eu creio… Você tem fé para isso? Então tenha ou continua com ela. Pois, é dom de Deus. E Ele nos dá isso gratuitamente…

Deus… Deste a fundação do mundo mostra o Seu cuidado pela humanidade e vai continuar mostrando para as gerações futuras. E para isso, vamos crescer no amor e na obediência ao Nosso Deus, o Deus que pregamos e sentimos… Mesmo que às vezes, Ele age no silêncio… Já que Seu amor é Sobrenatural, Inexplicável e nos constrange.

O texto que acabamos de ler nos lembra isso: Que somos criação de Deus para fazer as Boas Obras e andar conforme o Nosso Deus quer.

Por que cremos num Deus Trino (Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo) já que pela Sua graça e pelo Seu amor somos salvos sim… E isso é um motivo especial para se alegrar. Pois, a Sua vontade é que todos e todas sejam salvos.

Ei! Preste atenção: Deus cuida da gente… E deseja cuidar também daqueles e daquelas que estão lá fora e precisando ouvir uma palavra de salvação e cuidado. Creia verdadeiramente nisso, somos instrumento de salvação para eles.

E só para lembrar que ter fé… No momento de angustia e sofrimento pode parecer loucura para aqueles e aquelas que estão fora da presença de Deus… Porém, Deus deseja salva-los e que Eles também venham sentir esse grande amor que nós sentimos e cremos que estamos recebendo todos os dias. Ou seja, Deus pode pegar um grande pecador ou pecadora e tornar um homem ou uma mulher extraordinária e cheia da unção de Deus.

Conclusão: Que esse sermão, nos ajude verdadeiramente a entender que precisamos ser instrumento nas mãos de Deus e levar da Sua mensagem de salvação e cuidado para aqueles e aquelas que estão fora da Sua presença.

Hoje muitos choram e estão desistindo de viver… E precisamos pedir a Deus que nos ajude a salvar vidas e anunciar Seu Evangelho e confiar em Seu Filho que morreu pelos nossos pecados.

Não podemos ficar parados e precisamos entender que, Deus ama pessoas… E Ele nos criou para fazer coisas grandes. Já que somos feitura d`Ele, obra prima e feito de uma forma tão bonita e inteligente.

Vamos ser um instrumento preparado para Boa Obra… Vamos prestar atenção no nosso ministério e na nossa caminhada com Cristo. Mesmo que as dificuldades batem a porta e as coisas parecem difíceis… Não pare e creia que Deus está no controle.

Uma vez que, cada dia mais a nossa vida e nosso ministério tem que ficar melhor e não pior. Já que Ele quer trabalhar em nós e que verdadeiramente possamos ser sua imagem e semelhança.

Que Deus venha nos dar força e coragem para vencer todos os obstáculos e dificuldades do dia a dia. Fomos salvos e saímos da escuridão para a Luz através da Graça d`Ele.

Seja um instrumento de salvação… Passe a Maravilhosa Palavra de Deus para frente e mostre aos perdidos esse texto que acabamos de ler… Uma nova vida em Cristo é possível e Deus deseja isso.

Que a GRAÇA de Deus que nos salvou… Venha alcançar outras vidas e demonstre a Sua Bondade para todo o sempre em Nome de Jesus Cristo. Amém, amém e amém.

Que Deus nos abençoe e nos te força para fazer coisas grandes e levar salvação para os perdidos e perdidas de toda terra.

Pastor Anderson Magno
Barra Mansa, 18 de Dezembro de 2014

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

LÁZARO A QUEM DEUS AJUDA



TEXTO MOTIVADOR: João 11. 1 – 46

 

1 Estava enfermo Lázaro, de Betânia, da aldeia de Maria e de sua irmã Marta. 2 Esta Maria, cujo irmão Lázaro estava enfermo, era a mesma que ungiu com bálsamo o Senhor e lhe enxugou os pés com os seus cabelos. 3 Mandaram, pois, as irmãs de Lázaro dizer a Jesus: Senhor está enfermo aquele a quem amas. 4 Ao receber a notícia, disse Jesus: Esta enfermidade não é para morte, e sim para a glória de Deus, a fim de que o Filho de Deus seja por ela glorificado. 5 Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. 6 Quando, pois, soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava. 7 Depois, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia. 8 Disseram-lhe os discípulos: Mestre, ainda agora os judeus procuravam apedrejar-te, e voltas para lá? 9 Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; 10 mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz. 11 Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. 12 Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. 13 Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. 14 Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu; 15 e por vossa causa me alegro de que lá não estivesse, para que possais crer; mas vamos ter com ele. 16 Então, Tomé chamado Dídimo, disse aos condiscípulos: Vamos também nós para morrermos com ele. 17 Chegando Jesus, encontrou Lázaro já sepultado, havia quatro dias. 18 Ora, Betânia estava cerca de quinze estádios perto de Jerusalém. 19 Muitos dentre os judeus tinham vindo ter com Marta e Maria, para as consolar a respeito de seu irmão. 20 Marta, quando soube que vinha Jesus, saiu ao seu encontro; Maria, porém, ficou sentada em casa. 21 Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão. 22 Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. 23 Declarou-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. 24 Eu sei, replicou Marta, que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia. 25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto? 27 Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo. 28 Tendo dito isto, retirou-se e chamou Maria, sua irmã, e lhe disse em particular: O Mestre chegou e te chama. 29 Ela, ouvindo isto, levantou-se depressa e foi ter com ele, 30 pois Jesus ainda não tinha entrado na aldeia, mas permanecia onde Marta se avistara com ele. 31 Os judeus que estavam com Maria em casa e a consolavam, vendo-a levantar-se depressa e sair, seguiram-na, supondo que ela ia ao túmulo para chorar. 32 Quando Maria chegou ao lugar onde estava Jesus, ao vê-lo, lançou-se lhe aos pés, dizendo: Senhor, se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido. 33 Jesus vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se. 34 E perguntou: Onde o sepultastes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê! 35 Jesus chorou. 36 Então, disseram os judeus: Vede quanto o amava. 37 Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? 38 Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra. 39 Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. 40 Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? 41 Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. 42 Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste. 43 E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! 44 Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir.  45 Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele. 46 Outros, porém, foram ter com os fariseus e lhes contaram dos feitos que Jesus realizara. [1]

Algum tempo atrás me deparei com esse versículo: Jesus chorou (Jo 11. 35) e desejei montar um sermão para entender melhor o motivo que fez Jesus Cristo chorar... Não era por que “eu” achava que isso nunca poderia ter acontecido. Mas, por vários motivos que entendemos que Ele é Filho de Deus (e quando pensamos em Deus, isso parece impossível chorar).

E eu creio nisso meus amados, num Deus que chora. Me deparei então, observando Jesus Cristo como um humano e sentindo a dor, o sofrimento, a angústia de pessoas em luto... Já que entendemos que “luto” não tem haver somente com a morte física de alguém, mas, também originado por outras causas (separação, partida, rompimento, amargura, desgosto e também certo sinais que podem apresentar certos sinais do luto).

Ver a atitude de Cristo Jesus nos choca... Pois, segundo seus seguidores, ficaram preocupados em voltar para um lugar, onde já havia prometido matar Jesus caso Ele voltasse. Porém, o Amor d`Ele era maior que o medo e a perseguição que Ele sofria ou poderia sofrer naquele lugar.

Neste texto de João 11, podemos destrinchar vários pontos que nos chamam atenção. No entanto, desejo ficar com um que é essencial para nós que é o Amor de Cristo...
 

A cidade de Betânia = “casa dos dátiles” ou “casa da miséria”. Era uma vila no Monte das Oliveiras, cerca de 3 Km de Jerusalém, sobre ou próximo ao caminho a Jericó. Era uma cidade ou vila ao leste do Jordão, onde João estava batizando. [2]

Entretanto, Jesus Cristo tinha uma consideração enorme por essa família e não se importou com as dificuldades e problemas que poderia enfrentar. Mesmo assim, como eu disse no texto e a Bíblia deixou claro... Ele voltou.

Jesus Cristo quer voltar amados/as para resolver e acabar com os nossos problemas e lutos que enfrentamos no nosso dia a dia. Assim sendo, Ele deseja entrar na nossa casa e fazer o Grande Milagre. Lazaro não era uma pessoa qualquer.

Lázaro que no significado do seu nome é = “a quem Deus ajuda” (uma forma do nome hebraico Eleazar). Era habitante de Betânia, amado por Cristo e ressuscitado da morte por Ele. Logo segundo o próprio Jesus Cristo disse que Lázaro era uma pessoa muito pobre e coitada. Conforme nos mostra o texto de Lucas 16. 20-25. [3]

Todavia, o que este texto tem haver com a nossa vida e também ministério, ou seja, com o nosso ofício e missão?   Tem haver com o seguinte… Não importa se somos rico ou pobre... Jesus quer manifestar a Glória de Deus na nossa casa... Você crer? Eu creio e recebo essa palavra profetica para minha vida e receba você também.

O que a morte de Lazaro representa para cada um de nós neste momento? Para isso, me deparei com um texto muito bonito de um professor que me deu aula e me ensinou muito a paixão por fazer um belo sermão que foi o Professor Luiz Carlos Ramos, que num belo texto, soube expressar muito bem esse encontro e o que isso representa para cada um de nós.

Ele inicia assim: Lázaro é a personificação de todo enfermo. Por que Lázaro adoeceu? Por que Lázaro morreu? Segundo Jesus, a enfermidade não é para morte, e sim para a glória de Deus. Como pode ser isto?

No tempo de Jesus, havia duas correntes predominantes no que diz respeito ao entendimento sobre a morte: (1) a dos saduceus, que não acreditavam na ressurreição física, mas entendiam a continuidade da vida por meio da descendência (daí a importância de gerar filhos, e a angústia em relação à infertilidade); e (2) a dos fariseus, que acreditavam, sim na ressurreição física, mas a projetavam para o “dia do juízo”, para o “último dia”.

Numa primeira leitura, é possível confundir a postura cristã com a farisaica, pois ambos acreditamos na ressurreição. Mas há uma diferença sutil, porém essencial entre elas. Ao adiar a ressurreição para um futuro remoto, o que poderia ser, num primeiro momento, sinal de esperança e de consolação, tornou-se, por interesses político-econômico-religiosos escusos, instrumento de opressão e dominação. Ao projetar a vida plena para um futuro, no além, abafavam-se e continham-se aspirações mais imediatas, reivindicações de melhores condições para o aqui e o agora.

Esse sistema de crença foi amplamente promovido ao longo da história, principalmente como mecanismo de contenção do espírito revolucionário das massas.

A teologia escapista das igrejas dos escravos nos EUA são um bom exemplo disso. Uma vez que não podemos esperar nada desta vida, resta sonhar com um “celeste porvir”, uma “pátria celeste”, na expectativa de subirmos para “gozar no céu”, pois lá, sim, “há morada feliz”.Por influência de certos missionários, muito dessa teologia escapista dominou a cultura mediana dos protestantes brasileiros.

Voltemos ao texto do evangelho. Maria, bem doutrinada pelos pranteadores fariseus, que lá foram “consolá-la”, também cria na ressurreição do último dia. Mas Jesus a ensinou a não se conformar com a morte dizendo categoricamente: “Eu sou a ressurreição e a vida.”

Ainda que corramos o risco de alegorizar, consideremos não o que dizem os fariseus, mas o que nos ensina Jesus, com a história da ressurreição de Lázaro.

 

 

O cheiro da morte (e o quarto dia)

Para a reconquista da vida é preciso ir até onde estão os sepulcros e enfrentar o cheiro da morte: “Já cheira mal, já faz quatro dias…” Quatro, simbolicamente, é o número da limitação humana. E a limitação humana tem cheiro de morte. Mas, como bem nos lembrou Nietzsche: “somente onde há sepulturas, pode haver ressurreições…”

 

A pedra

Além do cheiro da morte, nos damos conta de que há sempre pedras fechando os túmulos. Não faltam obstáculos tratando de impedir o acesso à vida. Jesus intercede em favor de Lázaro diante de Deus que sempre ouve as orações dos justos, mas Deus não faz o que compete a nós fazermos. Quem tem de tirar a pedra são os discípulos: “Tirai a pedra…”

 

A ressurreição

Depois de falar com Deus e pedir aos que estavam com ele para que tirassem a pedra, Jesus, agora, dirige-se a Lázaro: “Vem para fora!” Deus fez a parte dele, os discípulos fizeram a deles, mas agora é a vez de Lázaro.

É preciso que Lázaro saída do sepulcro por seus próprios pés. Mais uma lição de autonomia… A superação da morte e a reconquista da vida é um trabalho em mutirão, de responsabilidade partilhada, que requer a participação efetiva e afetiva de todos.

 

As ataduras

Mas Lázaro não sai do túmulo em plenas condições de retomar a vida. Ainda está envolto na mortalha da morte. Esta adere à nossa carne, se prende ao nosso corpo com tamanha força que é como se quisesse agarrar também o nosso espírito.

Assim, da mesma forma como aconteceu com a pedra, haverá de ser com as ataduras. Deus, se pode, não quer tirar-lhe as ataduras, e Lázaro ainda que queira, não pode fazê-lo. Este é um privilégio concedido a nós: libertar os seres humanos das amarras que os mumificam.

 

Conclusão

Porque há morte, também há de haver ressureições. Porque há pedras grandes sobre os túmulos, há de haver solidariedade. Porque há múmias, há de haver seres humanos autônomos e sujeitos da sua história. Porque há amarras há de haver libertação.

Cremos na ressurreição dos mortos, mas não somente lá, num futuro longínquo. Porque Jesus disse: “Eu dou a ressurreição e a vida”, cremos na resurreição já! e na vida plena, aqui e agora!                 © Luiz Carlos Ramos, 2011 [4]

 
Que Deus venha nos ajudar a compreender todo simbolismo que está por de trás dos textos Bíblicos… Todo Seu amor e cuidado para com todos. Deus, através de Seu Filho amado e também pela ação do Espírito Santo, nos ajudou e nos ajuda todos os dias a sair das situações de morte para vida.

Para isso, deixa o Deus Trino entrar na sua casa e entrar na sua vida. Deixa Ele te ajudar e mostrar que você é especial para Ele. Jesus, assim como voltou para resolver a situação de Lazaro, Ele também é capaz de voltar para você e lhe ajudar a sair da situação de morte para a vida.

Não importa quando tempo você se encontra na posição de morto… Ei! Preste atenção. Ele (Jesus Cristo) pode lhe salvar e vai lhe salvar. Basta você levantar suas mãos e dizer sim, eu quero e desejo… Que Ele vai ao seu encontro.

Só para concluir… Talvez esteja pensando assim. Lazaro estava morte e não levantou as mãos. Mas, Jesus Cristo conhecia aquela família, conhecia Lazaro e sabia que aquela enfermidade seria para glorificar o nome de Deus.

Estou dizendo para você, que existem pessoas que choram e querem ver você sair dessa situação de morte para vida… E existe uma bela canção que tem um trecho muito bonito que diz assim: Ei amigo morto, saia para fora, Jesus, está lhe chamando agora.

Saia para fora e viva na Presença de Deus.



 

 



[1] Sociedade Bíblica do Brasil. 2003; 2005. Almeida Revista e Atualizada - Com Números de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil.
[2]  Strong, J., & Sociedade Bíblica do Brasil. 2002; 2005. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil
[3]  Idem.
[4] Disponível em: < http://www.luizcarlosramos.net > - Acesso em 20 de outubro de 2013.

sábado, 25 de outubro de 2014

ALELUIA CRISTO VIVE… AMÉM.


Texto Motivador

Mateus 28. 1 – 10

No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.  E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste, alva como a neve. E os guardas tremeram espavoridos e ficaram como se estivessem mortos. Mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: Não temais; porque sei que buscais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou como tinha dito. Vinde ver onde ele jazia. Ide, pois, depressa e dizei aos seus discípulos que ele ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. É como vos digo! E, retirando-se elas apressadamente do sepulcro, tomadas de medo e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos. E eis que Jesus veio ao encontro delas e disse: Salve! E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés e o adoraram. Então, Jesus lhes disse: Não temais! Ide avisar a meus irmãos que se dirijam à Galiléia e lá me verão.

Passamos por momentos em que explicamos a vida de Jesus Cristo… Seus ensinamentos, seus milagres, suas obras, suas curas. Porém, hoje vamos falar de um período alegre para todos nos cristãos do mundo inteiro. A ressurreição de Cristo no Domingo de Páscoa.

         Páscoa é muito mais que entregar ovos de chocolates, bombons e cestos com um monte de presente e claro com ovos e chocolates. Páscoa é ressurreição de Cristo.

         Entretanto, não podemos começar falar da ressurreição de Cristo, sem antes explicar o que aconteceu. Como já foi colocado aqui neste texto, Jesus nos seus últimos dias passou por momentos difíceis e complicados no seu ministério. Primeiro tendo participar da sua ultima ceia junto com os seus discípulos conforme no mostra o texto de João 13. 1 que diz: Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim.

Ou seja, Jesus Cristo, já sabia o que estava para acontecer com Ele, e talvez isso causasse Nele um stress que não temos nem noção da sua magnitude. Pois, ser traído, ser humilhado, ser questionado não é uma situação fácil para ninguém. Mesmo assim, num gesto de humildade e simplicidade, Jesus Cristo lavou os pés dos seus discípulos e disse para Pedro, se não deixaste Ele lavar os pés dele, não teria ele parte com Jesus.

Na continuação do texto, também se percebe que Jesus explica que um dos seus discípulos iria agir contra a sua vida e o trair. E este traidor era Judas. Ele era de uma tribo de guerreiro e queria ver em Jesus um guerreiro que lutava contra o povo Romano. Mas, Jesus não era o que ele esperava. E ele sentiu e deixou ser tocado pelo diabo para trair o Mestre.

Logo em seguida, Jesus foi para o Getsêmani que é um Jardim situado no sopé do Monte das Oliveiras, em Jerusalém (atual Israel), onde Jesus e seus discípulos foram orar na noite anterior à sua crucificação. De acordo com o Evangelho Segundo Lucas, a angústia de Jesus no Getsêmani foi tão profunda que “Seu suor tornou-se grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão”. [1]

A conversa não foi fácil e a situação ali também não foi… Soldados armados e cheio de ódio no coração, foram atrás d`Ele. Judas estava junto com os soldados Romanos, pois sabia que Jesus ia naquele lugar para orar e fazer suas reflexões pessoais. Neste texto também acontece à cena em que Pedro saca de uma espada e fere um soldado… Jesus reprovou este gesto de Pedro. Não era a violência que Ele pregava e sim a paz, o amor e o cuidado ao próximo.

Jesus logo em seguida foi julgado pelas autoridades e traído por Pedro que o negou… Logo depois foi Jesus levado para sua crucificação. Mas, antes disso, os soldados não deixaram barato. Bateram, castigaram, humilharam e flagelaram seu corpo.

Ai sim! Ele pegou a cruz que estava preparada para Ele e seguiu para a rua e ali, ainda passaria por humilhações e questionamentos. Mas, havia pessoas também que não concordavam com o que estava acontecendo com Ele… E por isso, causou um alvoroço nas ruas por onde passava com a sua cruz.

Estas imagens e situações não são novidades para nós. Porém, uma reflexão para a nossa vida e ministério. Jesus Cristo causou um incomoda para muitas pessoas. Seu ministério causou inveja e raiva por parte de muitos, até mesmo por aqueles que Lhe seguiam.

Jesus Cristo era um homem diferente de sua época e por isso, observamos perseguições e ódio vindo de pessoas de perto e de longe. Ele ensinava uma doutrina ou um comportamento diferente de tudo que o povo tinha visto antes… Porém, voltando o foco do nosso sermão, o importante hoje é lembrar a ressurreição de Cristo Jesus.

Como é bom saber que o nosso Senhor está vivo e muito vivo… Podemos falar d`Ele com muita alegria e amor, e saber que Ele está aqui hoje e está em todos os lugares em que é lembrado a sua ressurreição. Pelo calendário cristão, passamos por momentos de silêncio, onde podemos refletir um pouco sobre tudo que se passou com o Mestre Jesus.

Queridos irmãos, que a Páscoa seja para nós um momento de muita alegria e paz. Seja também uma semana em que pensamos sobre tudo que Jesus Cristo fez e continua fazendo por cada um de nós.

Pois, devemos ter em mente o seguinte: Quando foram visitar o tumulo de Cristo, Ele não estava mais ali, Ele estava nos braços do Pai, do Seu Pai, o Nosso Deus. Que na semana da Páscoa, assim como em outras épocas e momentos possamos anunciar a Jesus Cristo… O Rei, o Messias amado e esperado por nós… Pois Ele vive e breve voltará em Glória e Majestade para juntos ficarmos do lado d`Ele e do Seu Pai.

Lembram-se amados… O Amor de Deus é o nosso ontem e hoje e sempre será… Ele nos ama de uma maneira especial e diferente do amor humano. Existe uma responsabilidade sobre a nossa vida e ministério que é o seguinte: Precisamos anunciar a vida de Cristo. Sendo assim, ficou para nós a responsabilidade de ajudar outras pessoas a entender a vida de Cristo e a sua “Paixão, morte e ressurreição”.

ü Paixão: Por saber que poderia sair dessa situação de perseguição e covardia com uma palavra… Porém, preferiu que fosse feita a vontade de Seu Pai… “Pai, se queres, passa de Mim este cálice: contudo, não se faça a Minha vontade, e sim, a Tua. Lucas 22. 42

ü Morte: Quando, pois, Jesus Cristo tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o Espírito.

ü Ressurreição: Pois, ainda não tinha compreendido a Escritura, que era necessário ressuscitar ele dentre os mortos.

Que Deus venha nos ajudar sempre e sempre neste momento a nunca se esquecer desse gesto de amor e cuidado que o Nosso Senhor Jesus Cristo teve por nós. Foi um gesto que eu e você, talvez não tivéssemos coragem de fazer em prol do outro. Mas, Ele fez por nós.

Hoje podemos dar um GLÓRIA A DEUS ALELUIA, pois o NOSSO SALVADOR ESTÁ VIVO e muito vivo. Agindo sempre em nosso favor e nos ajudando de uma maneira SOBRENATURAL em nossa vida.

Desejo para você, meu amado irmão uma Páscoa abençoada e nunca se esqueça disso… Jesus nos ama muito e Ele está vivo… Aleluia, Cristo vive e amém, amém e amém.

 

Deus te abençoe em Nome de Jesus Cristo.

 

Pastor Anderson Magno




[1]  HTTP://pt.wikipedia.org.com – Acesso em 21 de outubro de 14

domingo, 31 de agosto de 2014

FIDELIDADE NO MOMENTO DE CRISE - Uma reflexão sobre Jó e a sua esposa.

Texto Motivador:

Jó 31. 1 - 10

“Eu jurei que os meus olhos nunca haveriam de cobiçar uma virgem. Se eu tivesse quebrado o juramento, que recompensa Deus me daria, e como é que lá dos céus o Todo-Poderoso me abençoaria? Pois Deus manda a infelicidade e a desgraça para aqueles que só fazem o mal. Deus sabe tudo o que eu faço; ele vê cada passo que dou. Juro que não tenho sido falso e que nunca procurei enganar os outros. Que Deus me pese numa balança justa e ele ficará convencido de que sou inocente! Se por acaso me desviei do caminho certo, se o meu coração foi levado pela cobiça dos olhos, se pequei, ficando com qualquer coisa que pertence a outra pessoa, então que outros comam o que eu semeei, ou que as minhas plantações sejam destruídas. Se o meu coração alguma vez foi seduzido pela mulher do meu vizinho, e se fiquei escondido, espiando a porta da casa dela, então que a minha mulher se torne escrava de outro, e que outros durmam com ela”.

Desenvolvimento:

Quando fui convidado para ministrar no culto da família… Fiquei muito feliz pelo convite. E como sempre, Deus sempre nos entrega algo que fala com a gente primeiro… Ou seja, antes de ministrar algo para vocês, Deus trabalha na nossa vida e no nosso ministério.

Pois bem, estou num propósito de ler a Bíblia toda em menos de um ano… E curiosamente, estava no livro de Jó quando Deus me revelou algo sobrenatural na vida desse homem… A sua fidelidade com a sua esposa… Sim meus amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, sua fidelidade com a sua esposa.

Mulher essa que, no primeiro momento temos vontade de dar uma lição nela não é? Pois, devido ao respeito e carinho que temos para com o Nosso Deus… Ela me vem e lança sobre a vida de Jó que ele precisava amaldiçoar a Deus e que ele morresse… Como nos mostra o texto de Jó 2. 9 que diz o seguinte: “ Então disse-lhe sua mulher: Ainda persistes em tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre.”

A vida dessa mulher… Virou de cabeça para baixo ao perceber que tudo aquilo que ela tinha, estava morrendo, estava indo embora, não existia mais… Entrou uma depressão profunda nesta mulher, uma vez que, não observamos nesta leitura o cuidado para com ela.

Todas as atenções estavam direcionadas para Jó… Talvez, pela sua situação, era normal o excesso de cuidado com ele… Mas, a sua esposa ainda estava lá… E quem estava ajudando ele? Quem estava sentado com ela? Quem estava alimento? Quem estava dando uma roupa ou um abrigo?

São coisas que Deus, não nos revelou… Porém, a leitura do Livro de Jó, algumas conversas são isoladas e precisamos juntar… Fazer uma montagem e colagens para entender o seu significado… Pois, o próprio Jó, reconhecia que ele era justo e não entendia o que estava acontecendo com ele… Agora você, imagina a situação dessa mulher! Não era fácil… Era complicado demais.

Ei! Preste atenção: Quantas pessoas aqui numa situação de desespero, sofrimento, angustia, depressão, raiva e luto (lembrando que o luto, não é só quando alguém morre)… Já ouviu que precisava de um concerto? Não que isso não possa acontecer, mas, às vezes, você não deu legalidade para algo acontecer em sua vida. E assim, se você não leu o livro de Jó, fica difícil (risos).

E se você, não estiver com o coração tratado e abrir os olhos espirituais para os propósitos de Deus… Você vai à loucura… E em vez de ficar na posição de Jó, você pode ficar na situação da esposa de Jó… Que infelizmente, fez um comentário complicado.

Introducão:

O objetivo desse sermão é o seguinte… Não é fazer uma critica para esposa de Jó e sim entender que no momento de crise e sofrimento… Os dois precisam ser cuidados e protegidos. Devem ser blindados e fortalecidos em todas as áreas em Nome de Jesus Cristo… Amém.

Pois, falamos muito da fidelidade de Jó com as coisas e com Deus… Mas, dificilmente entendemos a sua fidelidade com a esposa e por que Deus… No momento que restituiu ele em DOBRO… Restituiu com a mesma mulher que pediu para ele amaldiçoar a Deus. Como isso?

Quero dizer algo aqui: Os segredos de Deus… Ainda é um mistério para os homens e mulheres neste mundo. E é somente quando você entra no mistério com Ele, que você percebe o cuidado e o sentido da aliança.

Creio que Jó amava tanta essa mulher que ele não se permitia até olhar para outra mulher conforme lemos neste texto motivacional… Uma vez que, ele sabia que era pecado… Mesmo vivendo numa época onde poligamia era considerada normal.

Mas o que é poligamia pastor: É uma palavra que vem do Grego (muitos matrimônios) é a união reprodutiva entre mais de dois indivíduos de uma espécie.

Enfim, voltando a nossa história… Você manter a sua santidade e fidelidade onde se permitiam outros casamentos, outras alinças… Tem que ser muito forte. Mas, lembra-se que Jó 31. 1 ele comenta: “Eu jurei que os meus olhos nunca haveriam de cobiçar uma virgem.

Jó verdadeiramente era um homem diferenciado da sua época… Continuou fiel aos seus princípios e aquilo que ele tinha como verdade em todas as áreas e principalmente no seu casamento… Ele cumpriu.

Ser fiel… Só quando está tudo bem é muito fácil. Mas, ser fiel quando vêm os problemas e a dificuldades que quero ver e entender.

Pois, a esposa de Jó nos faz refletir sobre isso… Como está a nossa vida? Como está o meu casamento? Como está o meu namoro? Estou sendo fiel ou estou quebrando princípios? Qual é a resposta? O que está acontecendo? O que vamos fazer? Fico ou vou embora? Luto ou paro?

Mas, quero deixar uma coisa que é profética para nós… No momento de perdas, angustia, solidão, doenças, brigas e duvidas… Deus tem algo para você. Ele não vai te abandonar não. Creia e tenha fé… Pois, muitos casamentos estão ao ponto de determinar por causa disso. Acham que nem Deus, nem Jesus Cristo e muito menos o Espírito Santo podem mudar essa realidade… Mas, Ele pode sim e vai restituir seu casamento e a sua família para Glória e Honra d`Ele em Nome de Jesus… Se você crer nisso… Aplauda ao SENHOR e diga Glória a Deus e aleluia… Ele vai mudar essa situação.

Volto a repetir… Não deve ter sido fácil para essa mulher e muito menos para Jó ver tudo cair e a realidade mudar… Os momentos difíceis é que mostram quem somos realmente, às vezes nem eu e nem você reconhecemos quem somos sabia? [1]

Não pare de lutar… Não pare de acreditar… Confia em Deus somente atraves de Seu Filhos Jesus Cristo e pela Ação do Espirito Santo… Eles estão prontos para nos ajudar e quer ajudar.

A esposa de Jó… Nos faz refletir demais sobre o cuidado com as pessoas. As vezes, só ouvimos uma parte e esquecemos a outra. Porém, quando somos desafiados a continuar fieis… Pode vim uma crise, uma dificuldade e até mesmo uma quebra de aliança e de votos.

Lembra-se do seguinte: "Eu odeio o divórcio;  eu odeio o homem ou a mulher que faz uma coisa tão cruel assim.  Portanto, tenham cuidado, e que ninguém seja infiel à sua mulher ou ao seu marido" (Malaquias 2. 16)… Isso é uma verdade para nós não é? Pois bem, quando eu e a Carol fizemos o curso de liderança de casais… Quando perguntaram para o presidente do Casados para Sempre sobre a questão do divorcio ele disse uma coisa muito interessante que foi o seguinte:

Deus odeia o divorcio sim… Mas, devido ao coração duro de homens e mulheres, isso acontece e é uma realidade daqueles e daquelas que não querem, não desejam e não tem mais forças para acreditar e lutar pela sua união e a aliança. Ou seja, lutar pela sua família.

Desejo avisar uma coisa: Não estou querendo ser hipócrita de falar que eu não tenho problemas no meu casamento e com a minha família… Mas, estou falando que no momento de crise e de dificuldades, alguém tem que está forte e com vontade de lutar… E quando Deus entra na luta meu amado e minha amada… Você pode ter a certeza que você vai ser maioria e com Deus vai dar tudo certo… Em Nome de Jesus Cristo.

Faz a rota da conciliação e lute… Peça a Deus força e continue nos princípios da fidelidade e da honra. Mesmo que seja difícil e complicado… E mesmo se algo lhe faltar (como força e vontade), continue fiel e justo diante de Deus… Ele vai lhe dá a resposta e lhe apontar caminhos.

Conclusão:

Deus quer nos mostrar algo e creio que Ele falou de uma forma diferente hoje… Derrepende, você veio aqui e esperou um barulho muito grande, talvez, você veio aqui e esperou o sobrenatural acontecer… Pessoas caindo e entrando no poder d`Ele…

Porém, Ele desejou sarar pessoas e restaurar alianças… Nunca pense que o seu casamento ou o seu manoro não precisa de um concerto… Nunca pense que seu casamento ou manoro nada pode abalar e acontecer… Assim, como foi com Jó, o diabo anda ao deredor e ao redor dependendo da situação e ele sempre quer achar uma brecha para nos tirar do foco e da presença de Deus e mexer na nossa família… Mas, lembra-se… O diabo não tem familia e tenta acabar com a nossa.

Nosso desafio aqui hoje é: Até onde você agüentaria tudo isso?

A história de Jó nos faz pensar no real sentido das palavras amor, prontidão, companheirismo e, principalmente, fé. O que cada uma destas coisas significa para você..? Será que seu coração vai se desfalecer se sua casa pegar fogo, se perder seus filhos, seus bens preciosos, tiver uma doença grave, perder algum ente querido? Qual o seu limite de amor, de “pagar o preço” por uma vida?

Ela podia ser uma mulher até mesmo sem fé, ou não com a mesma fé que Jó, mas não o deixou no meio de tanta tragédia, não virou as costas para continuar a sua própria vida, de forma egoísta e mesquinha. O final do livro de Jó descreve que Deus deu a ele tudo de novo, em dobro e melhor (Jó 42. 10 - 15): filhos, bens, saúde, amigos. E a esposa dele estava lá, vivendo todas estas bênçãos junto com ele. Glória a Deus e aleluia.

Se ela tivesse largado tudo, teria vivido o melhor com ele..? Talvez tivesse passado fome, sido violentada ou até mesmo morta. Mas ela ficou firme e viveu o tempo das boas-novas. Sofrer, muitas vezes, faz parte do plano de Deus, para o melhor que está por vir. Não desistir neste momento é uma prova de fé intransponível e pessoal. [2]

Essa mensagem “tirei” de um Blogger… Para mostrar que Deus está sempre disposto a nos ajudar e nos restituir tudo, tudo e tudo aquilo que o diabo, juntamente com os seus companheiros tentaram nos tirar ou até mesmo conseguiu.

Porém, lembra-se novamente, se Jó largasse tudo, será que seria digno de ser lembrado e honrado como foi diante de Deus e diante dos homens..?

Deus é um Deus que testa sempre a nossa fidelidade e compromisso com Ele… E mesmo que as provas vêem, que a nossa família seja atacada, e que nossos amigos falam contra nós… Ele nos protege e nos guarda. E no momento certo, Ele libera a cura, o milagre e a restituição de tudo aquilo que nos foi tirado… Que eu e você possamos receber em dobro, tudo aquilo que o diabo roubou ou tentou tirar de nós em Nome de Jesus Cristo Seu Filho amado… Amém, amém e amém.

Quero orar e pedir que Deus nos ajudar e proteger a nossa família… Venha no altar orar comigo em Nome de Jesus Cristo…

Que o Eterno venha trazer clareza e
entendimento aos nossos corações e mente.

Pastor Anderson Magno – Ministração no Culto da Família na Igreja Metodista Central - BM



[1]  http://www.cristianecardoso.com – Acesso em 28 de agosto de 2014.
[2]  http://www.montesiao.pro.br – Acesso em 28 de agosto de 2014.