sábado, 24 de fevereiro de 2018

A PALAVRA DE DEUS NOS DAR PROTEÇÃO



Texto Motivador: 1 Reis 3. 16 – 28
Então vieram duas mulheres prostitutas ao rei, e se puseram perante ele. E disse-lhe uma das mulheres: Ah! senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa. E sucedeu que, ao terceiro dia, depois do meu parto, teve um filho também esta mulher; estávamos juntas; nenhum estranho estava conosco na casa; somente nós duas naquela casa. E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele. E levantou-se à meia-noite, e tirou o meu filho do meu lado, enquanto dormia a tua serva, e o deitou no seu seio; e a seu filho morto deitou no meu seio. E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era meu filho, que eu havia tido. Então disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho o vivo. Assim falaram perante o rei. Então disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho o morto; e esta outra diz: Não, por certo, o morto é teu filho e meu filho o vivo. Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra. Mas a mulher, cujo filho era o vivo, falou ao rei (porque as suas entranhas se lhe enterneceram por seu filho), e disse: Ah! senhor meu, dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o. Então respondeu o rei, e disse: Dai a esta o menino vivo, e de maneira nenhuma o mateis, porque esta é sua mãe. E todo o Israel ouviu o juízo que havia dado o rei, e temeu ao rei; porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça.

INTRODUÇÃO: Semana passada! Falamos de um D-us que é justiça e julga a nossa causa. Essa semana, vamos falar de um homem, que segundo o conhecimento Bíblico, foi o homem mais rico e mais sábio desse mundo. Seu nome é Salomão, filho de Davi e rei de Israel.

DESENVOLVIMENTO: Neste mesmo capitulo que lemos... Percebemos que Salomão foi a cidade de Gibeom (Gibeão = Cidade do Monte) que era uma cidade levítica de Benjamim (Bíblia Strong Eletronica) e nesta cidade, depois de ter sacrificado mil holocausto naquele dia, o próprio D-us apareceu para ele em sonhos e disse: Pede o que queres que eu te dê. (Conforme o texto de 1 Reis 3. 5).

Salomão naquele momento abre o coração (mesmo em sonhos) para D-us e o lembra das promessas ao qual o próprio D-us fez com Davi seu pai. Se estivesse alguém que caminhasse nos caminhos d`Ele, o Trono sempre seria ocupado por alguém da descendência de Davi...

Mas, como todo chamado, tem em primeiro lugar uma negação e um questionamento disse para D-us: sou apenas um menino pequeno; não sei como sair, nem como entrar. E teu servo está no meio do teu povo que elegeste; povo grande, que nem se pode contar, nem numerar, pela sua multidão. A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo? (Conforme 1 Reis 3. 7 – 9)

Depois que D-us... Sondou o “coração de Salomão” em sonhos e naquela nesta noite, o próprio D-us liberou sobre ele a “unção do dis-cer-ni-men-to” que segundo o nosso dicionário tem a ver com a capacidade de compreender situações, de separar o certo do errado. Além de saber avaliar as coisas com bom senso e clareza (https://www.google.com.br).

PRESTE ATENÇÃO! Depois que Salomão recebeu essa “unção”... Percebeu que era sonho e ainda não tinha conhecimento que já tinha recebido. Logo depois, que saiu novamente para fazer holocausto ao SENHOR, voltando se viu numa situação i-nu-si-ta-da.

Duas mulheres prostitutas, ganharam seus filhos quase no mesmo período e ainda por cima, moravam juntas... Só que, houve uma fatalidade naquela casa. Uma das crianças veio a morre, pois, segundo a acusadora, essa mulher deitou sobre o seu filho que veio a falecer.

Porém, ao perceber que seu filho estava morto, numa ação desesperada, tomou para si o filho da outra mulher e começou a tratar como seu filho.

Chegou um determinado momento que começou a haver uma grande discursão sobre de quem era de verdade o bebe.

LEMBRA-SE: Salomão tinha acabado de receber a “unção de dis-cer-ni-men-to” da parte de D-us e logo de cara já pega uma causa dessa, que na minha opinião era muito difícil. Uma vez que, se tratava de uma mãe que viu seu filho numa situação de perigo de vida, do outro lado, uma mulher que acabou de perder seu filho e estava num momento de “pico de Surto Psicótico que é quando um episódio de desorganização da representação da realidade ao qual a pessoa estava vivendo(https://pt.wikipedia.org) ou seja, essa mulher entrou num mundo ao qual não era a sua realidade, uma vez que, a criança não era seu filh. E a criança que estava vulnerável e estava correndo risco de vida.

Porém, existe uma frase que diz o seguinte: Saber ouvir quase que é responder.  (Pierre Marivaux) e Salomão ouviu as duas... E tomou uma decisão que aos olhos humanos poderia ser uma tragédia.

Salomão pediu uma espada e disse que: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra.


Olha o que nos diz o texto de Hebreus 4. 12: Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

Neste exato momento foi revelado algo poderoso no mundo espiritual... Onde que, diante de D-us toda mentira, complô e retaliação espiritual e física cai por Terra... A mulher que gerou a criança no seu ventre... Deu um grito e disse que não precisava fazer aquilo e poderia deixar a criança viva e que ficasse com a mulher que estava alegando que era dela.

Já a outra, desejou que Salomão verdadeiramente cortasse a criança, pois, assim nem ela e nem a outra teriam a criança viva em seus braços. Então! Quem era a mãe? A primeira ou a segunda.

Claro que é a primeira que por ter gerado a criança, se viu numa situação muito difícil ao perceber que aquela criança iria sofrer uma sentença tão grave que era a sua morte.

Salomão ao perceber as atitudes de ambas.... Automaticamente viu quem era mãe de verdade e entregou a criança a mãe legitima.

Sendo Assim! O que esse sermão tem para nos ensinar?

Em Mateus  5. 6 diz: Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos. Muitas vezes, pessoas vão tentar roubar aquilo que é nosso. Mas, temos que acreditar num D-us que entra na nossa peleja e Ele vai entrar com providencia. Então! Assim como essa mãe, vai aos pés do Reis dos reis e conte sua causa que tem de tirado a paz.

Já em Deuteronômio 32. 4 comenta: É D-us Fiel, que não comete erros; justo e reto Ele é. Mesmo que demore um pouco, D-us entrar na sua causa... Confie sempre, pois, Ele não erra e a Sua Palavra é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração conforme já aprendemos aqui neste sermão. Preste atenção! Para essa mãe pode ter sido algumas horas só... Mas, que apareceu uma eternidade devido a toda situação que aquilo foi gerado.

Para finalizar! No livro de Salmos 11. 7 nos deixa claro quando revela que: O SENHOR é justo e ama a justiça; os retos verão a sua face... O Espirito de D-us estava sobre Salomão, que na sua primeira causa, pega uma situação tão difícil... Mas, com a ajuda de D-us soube resolver de uma forma extraordinária ao ponto de todo o Israel ouvir o juízo que havia dado Salomão, e temeram a Salomão que já estava reinando naquela nação em lugar de seu pai Davi; porque viram que havia nele a sabedoria de D - us, para fazer justiça.

Assim! Declaro nesta noite que D-us vai entrar na nossa causa e acabar com essa situação de angustia e dor que pode estar tentando nos paralisar ou tirar a nossa paz, seja ela no mundo espiritual ou físico.

PRESTE ATENÇÃO MAIS UMA VEZ: A Palavra de D-us é a única que pode nos trazer sabedoria a nossa vida, esperança para nossa família e a proteção de uma glória eterna. (César Castellanos)

Então! Venha até o Altar e deixa D-us julgar a sua causa neste noite... Pois, tudo aquilo que você gerou, seja no mundo físico ou espiritual, o diabo não vai tomar. Creia e viva a Palavra de D-us que é vida e   traz a Paz... E libero sobre a sua vida: Sede fortalecidos no Senhor e na força do Seu Poder. (Conforme Efésios . 6. 10).

Que D-us os abençoem grandemente em Nome de Jesus Cristo.

Do seu Pastor e amigo!

Anderson Magno - 24 de Janeiro de 2018

domingo, 18 de fevereiro de 2018

ASAS OU RAÍZES



Texto Motivador: Lucas 15. 11 – 31
INTRODUÇÃO: Já ouvimos muitas coisas sobre esse texto... Hoje! Não será diferente. Pois, o texto que acabamos de ler, vai nos dar uma direção em algo poderoso nesta noite.
Hoje vamos aprender a diferença de termos asas e raízes...
DESENVOLVIMENTO: Esse texto nos mostra, que um homem tinha dois filhos. O mais novo, desejou um dia ter asas... Ele queria voar e conhecer o mundo de tão forma que não se importou em pedir antecipado seus bens para o pai.
Que segundo o texto, o pai o entregou tudo aquilo que era seu. Porém, o texto mostra que esse filho mais novo, já com o dinheiro e os bens, mas mãos, ainda ficou na casa do seu.
Agora! Imagina você, desejar sair de casa, com dinheiro no bolso e com idade para curtir sua vida e ainda ficar naquele lugar ao qual você não deseja mais.
Situação difícil essa.
Porém, o texto mostra que esse jovem saiu e viveu a sua vida de maneira louca e sem direcionamento que o amanhã não existia. O tema dele era: Viva o hoje intensamente.
Ter asas é assim... Pois, com asas!Podemos escolher onde queremos pousar, então, ficar em algum lugar ou condição passa a ser uma opção e não a falta de opção. (Marcelo de Elias)
Entretando! Observa que esse filho com asas voou e mesmo com asas e com dinheiro, ele foi parar num chiqueiro. Que segundo o costume Judaico, era algo indigesto e tratar de porcos era algo absurdo, humilhante, rebaixava a pessoa... E ninguém queria.
PRESTE ATENÇÃO: A situação daquele jovem era tão feia que na hora da fome, a pessoa que estava trabalhando naquele chiqueiro, junto com esse jovem, preferiu dar comida para os porcos em vez dele.
Isso mostra a grande realidade de muitos que estão saindo da casa de D-us hoje... Vivem uma vida de desgraça, tristeza, angustia desprezo e solidão. Pois, a vida é assim... Na dificuldade as pessoas se unem e na grande dificuldade as pessoas se afastam. Instabilidade emocional acaba com a pessoa.
Então! Aprendemos aqui que: Viver fora da vontade de D`us e como tratar de porcos.
O filho mais velho... Já tinha raízes. Decidiu ficar na casa do seu pai e ficar ali fazendo seus afazeres. Porém, a motivação dele estava fora dos princípios e da honra.
Observa que no texto! Que o jovem decidiu voltar para da casa pai que lá, até os empregados tinham uma vida melhor... E quando ele chegou! O pai preparou uma grande festa e preparou um novilho.
O jovem estava com a cabeça no mundo... O mais velho! Com a cabeça no novilho, pois, olha o que ele explica para o pai: “Faz tantos anos que sirvo o senhor e nunca transgredi um mandamento seu. Mas o senhor nunca me deu um cabrito sequer para fazer uma festa com os meus amigos. Mas, quando veio esse seu filho, que sumiu com os bens do senhor, gastando tudo com prostitutas, o senhor mandou matar o bezerro gordo para ele!”
O nível espiritual que esse homem estava vivendo era de desonra... E não de fidelidade.
Muitos filhos de D`us são assim... Só desejam está na Casa d`Ele por interesse e não por honra.
CONCLUSÃO: A vida é uma constante tentativa de escolha entre ter raízes ou ter asas. (Guilherme Esteves)... A diferença aqui! Entre o filho mais novo e o filho mais velho era a decisão.

O filho mais velho... Ao falar do seu irmão mais novo para o pai, ele diz: esse seu filho.

Nesta casa entrou o desprezo... E toda vez que entra o desprezo na casa, algo ruim acontece. Já que esse filho mais velho nos mostra que ele se afastou, que o seu semblante mudou e a murmuração estava em seus lábios.

Já o filho mais novo, nos mostra que num momento de lucidez, ele deseja voltar para casa do seu pai e ser tratado como um dos empregados, diferente do seu irmão que ficou com motivações erradas e queria que pelo menos um novilho fosse morto para comemorar com seus amigos.

Qual é a sua motivação para estar na Casa de D`us?

Os dois filhos desprezaram o Pai... Mas, uma atitude muda tudo.

Mas, neste mesmo texto... Observamos o “Pai” acalmando seu filho mais velho e disse: “Meu filho, você está sempre comigo; tudo o que eu tenho é seu. Mas era preciso festejar e alegrar-se, porque este seu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.”
Muitas vezes... Pais e mães carnais e espirituais, muitas vezes, tem que acalmar conflitos familiares ao qual precisa ser resolvida. A diferença é! Com qual sabedoria vamos agir numa situação de conflito.

Três lições tiramos aqui:

Quando te derem asas... Voa com cuidado, pois, talvez possam pousar em chiqueiros.

Raízes! Sem profundidade... Não gera vida, não gera frutos e pode causar a morte.

Cuidado com o desprezo: Pois, tudo que desprezamos! Podemos perder.

O dinheiro ou os bens neste texto não mudou o caráter dos dois irmãos e muito menos do pai... O dinheiro ou os bens só revelou quem eles eram de verdade. Ou seja, o desejo de ganhar coisas potencializou o caráter dos filhos e o caráter do pai. 
           
O filho mais novo... Queria gastar tudo que era seu.

O mais velho... A vaidade de ser reconhecido e de receber honrarias.

O pai...Que sabe que tudo que ele fez, foi para seus filhos e mesmo perdendo uma parte dos seus bens, colocou o “amor e o cuidado” com eles acima de qualquer coisa.

Esse texto nos faz ter um nível profundo de reflexão e analisar sobre ter asas ou raízes.

Entretanto... O que vamos fazer com elas que é importante.

Onde está o seu coração?

Qual desses três personagens você se identifica?

Olha o que disse Salomão em Provérbios 30. 7 – 9: Eu te peço, ó Deus, que me dês duas coisas antes de eu morrer: não me deixes mentir e não me deixes ficar nem rico nem pobre. Dá-me somente o alimento que preciso para viver. Porque, se eu tiver mais do que o necessário, poderei dizer que não preciso de ti. E, se eu ficar pobre, poderei roubar e assim envergonharei o teu nome, ó meu Dos.

Às vezes, não sabemos lidar com os bens ou as bênçãos que adquirimos ou recebemos na casa que estamos. O nível da desonra muitas vezes podem nos levar para caminhos perigosos e se não tivermos vontade de arrumar as coisas ou de reconhecer os nossos erros, podemos morrer no físico, emocional e espiritual.

O diferencial do filho mais novo que ele teve força para voltar e desejou servir seu pai.
Já o irmão mais velho... Desejou se afastar e não aceitar a honraria que aquele pai estava preparando e fazendo para o seu irmão.

Já o pai... Preferiu reconciliar e mostrar aquilo que os uniam em vez daquilo que os separavam.

D`us nesta noite está nos pedindo um momento de reflexão e analise pessoal da nossa vida. O que pode está tentando roubar a presença de D`us em nossas vida.

Será que é a vontade de conhecer o mundo?

Será que é a vontade de ser reconhecido e ganhar honras? 

Será que é a vontade de voar... Mas, sem ter ainda a noção de onde quer pousar?

Será que é a vontade de pedir a herança antecipada?

Que D`us venha nos dar clareza e entendimento dessa palavra... Que possamos analisar a nossa vida e intimidade com Ele neste lugar e que acima de tudo, Ele venha soldar o nosso “coração” para saber o nível de fidelidade que desejamos caminhar com Ele.

Que o Eterno nos abençoe grandemente em Nome de Jesus Cristo... Amém e amém.
           
           
           

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

SIM, EU SOU TUTOR DO MEU IRMÃO! - Uma reflexão sobre o cuidado com o outro




Texto Motivador: Gênesis 4.8 - 10 (JFA-ERAB):

            8 Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou. 9 Disse o SE-NHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor de meu irmão? 10 E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da terra a mim.

Mahatma Gandhi  um dia disse: “Respeito o Cristo dos Cristãos, mas desprezo o cristianismo deles.” Essa foi a frase dita por ele, a respeito do cristianismo praticado pelos colonizadores cristãos que tanto espoliaram e escravizaram em seu empreendimento colonialista na Índia.

De fato, temos que admitir que um cristianismo que seja indiferente ao sofrimento do próximo não merece respeito; um cristianismo, ou mesmo uma religião, que seja conivente com a opressão e o assassinato desumano do seu irmão, do seu próximo, é absolutamente desprezível.

O texto de Gênesis 4 talvez possa nos dar alguma ajuda para tratarmos dessa questão. O episódio narrativo de Caim e Abel se insere no contexto do conflito histórico entre os pecuaristas nômades e os agricultores sedentários do antigo Oriente Médio... Enquanto os pastores precisavam caminhar livremente pelas terras circunvizinhas em busca de pastagem e água, os agricultores tendiam a privatizar a propriedade e a expulsar quem as invadisse... Na perspectiva bíblica, Deus aceita (hebr. sha’ah = respeita, considera) o sacrifício dos pastores proscritos, e rejeita (não respeita, não considera) a oferta dos agricultores egoístas que expulsam seus irmãos pecuaristas da terra.

Esse é o palco do episódio narrativo que culmina com a tragédia do assassinato de Abel por seu irmão Caim. Na narrativa, um termo chama a atenção: “tutor”. O substantivo “tutor” aparece em, pelo menos, duas passagens bíblicas – uma no AT, neste trecho de Gênesis 4 (v.9); e outra no NT, em Gálatas 4. 2 que diz: No entanto, está sujeito a tutores e administradores até o tempo determinado por seu pai... Em Gálatas o termo é usado no seu sentido forense/jurídico, significando aquele que protege, ampara, dirige ou o defensor de alguém, principalmente no período em que esse alguém é considerado incapaz de responder por si próprio.

Já, em Gênesis “tutor” é usado no sentido agrícola... (lembremo-nos que Caim era lavrador – cf. v.2), significando “estaca ou vara fincada no solo para amparar e sustentar uma planta cujo caule é flexível ou demasiado débil” (cf. Dicionário Michaelis).
Hoje, me parece que a concepção que devemos ter em mente não é a de Gálatas, mas a de Gênesis. Assim, gostaria de propor que, por oposição, podemos aprender, com a história de Caim e Abel, que suportes um/a tutor/a deve oferecer para seu irmão, para sua irmã.

O primeiro suporte que um/a tutor/a deve oferecer é a sinceridade (versus a Falsidade de Caim): Caim parece gentil, amável e interessado quando convida seu irmão (’ach): “— Vamos ao campo” (v. 8a) [no original, conversam, quando estavam no campo]. Sabemos que as intenções de Caim não eram as melhores, por isso sabemos também que seu convite é falso e hipócrita.

Todos/as temos “amigos” como Caim que nos chegam sorrindo, cheios de gentilezas, mas que atrás estão escondendo um punhal. Ora, um tutor deve, ao contrário, ser absolutamente sincero (do latim sin+cere = sem cera). No Teatro da Antigüidade, era prática comum os atores usarem máscaras de cera para representar. O teatro é representado por duas máscaras: uma sorrindo e outro chorando. Daqui deduzimos que uma pessoa sincera é aquela que não usa máscaras: não emite sorrisos forçados nem “lágrimas de crocodilo”.

Devemos, portanto, assumir um compromisso em nosso grupo de tutoria: aqui ninguém será obrigado a representar. Aqui podemos ser autênticos, e ninguém será reprovado por isso. Podemos nos alegrar com os que estiverem alegres, e poderemos chorar com os que estiverem tristes. Ninguém precisa esconder seus sentimentos, sejam eles de contentamento ou de pesar.

Além da sinceridade, o/a tutor/a deve ainda oferecer um segundo suporte, o da lealdade (versus a Deslealdade – traição – de Caim): Caim trai terrivelmente a confiança do irmão que aceita o convite para passear com ele no campo. Em lugar de desfrutar de alegres momentos de lazer, Abel foi vítima de uma traição cruel e fatal (v. 8b): Caim “se levanta” (quwm = colocar-se acima, sobrepujar) violentamente contra Abel.

Todos já passamos pela experiência de sermos traídos por algum amigo ou amiga. E essa é uma experiência que provoca a morte de muitas amizades. Um tutor, ao contrário, deve ser extremamente leal. Jamais agirá pelas costas. Jamais trairá voluntariamente a confiança de seu irmão ou de sua irmã. Pois, o nosso compromisso “ é “ ético, portanto, implicará em lealdade com as pessoas... Principalmente na Igreja e nas células. Não teremos o direito de falar ou agir “pelas costas” uns dos outros, umas das outras. O que tivermos que tratar ou resolver, deverá ser feito aberta e francamente.


Mas não basta ser sincero e leal se o/a tutor/a não oferecer o terceiro suporte, a solidariedade (versus a Indiferença de Caim): Quando perguntado por Deus sobre o seu irmão, Caim respondeu: “— Não sei: acaso sou eu tutor (shamar) de meu irmão?” (v. 9). Eis aí a semente da indiferença para com o próximo que tanto indignava Gandhi.

“Não tenho nada com isso”. “Não estou nem aí”. “E eu com isso?” São todas expressões correntes na experiência cotidiana de todos nós... Que não temos nada a ver com as coisas e com as pessoas.

O tutor seria, então, aquele que é solidário. Aprendemos que o amor de Deus por nós (e que ele espera de nós) é mais do que o amor físico (que depende de nossas qualidades estéticas), e mais do que o amor fraterno (que depende de nossas qualidades morais), aprendemos que o amor de Deus é a completa so-li-da-ri-e-da-de (que é gratuita e incondicional). Não o amor de quem tira, mas o daquele que dá a vida pelo/a seu/ua irmão/ã e não fere, não mata, não esquece e não ajuda.

Não basta ser sincero, e não ser desleal, é preciso ser so-li-dá-ri-o: isto é, amar concretamente.

Concluindo esse sermão: O texto de Gênesis que nos inspira termina por nos mostrar que Deus é o Tutor dos tutores. Ele é o nosso sustento. A sua sinceridade, lealdade e so-li-da-ri-e-da-de é tal que ele ouve até a voz dos que já não têm mais voz:

“E disse Deus: Que fizeste? A voz (qowl = grito) do sangue de teu irmão clama da terra a mim” (v. 10).

Não, é por acaso que somos mesmo apoio e suporte, tutores e tutoras de nossos irmãos e irmãs! [1]

Que a nossa Igreja caminhe com fidelidade e honra primeiramente com Deus e depois com o próximo... Já que o texto de 1 João 4. 20 nos diz: Se alguém declarar: “Eu amo a Deus!”, porém odiar a seu irmão, é mentiroso, porquanto quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não enxerga. 

Vamos pensar nisso e viver um ano diferente em 2018 que venha com cuidado e respeito...

Esse artigo é do Pastor e Professor Luiz Carlos Ramos que durante muitos anos nos ensinou a importância do cuidado com o próximo respaldada com a Palavra de Deus.


[1] http://portal.metodista.br – Acesso em 13 de fevereiro de 2018.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

ALEGRAI-VOS N`ELE


Texto Motivador: Salmo 2. 12d
            Bem-Aventurado todos os que n`Ele se refugiam.

INTRODUÇÃO: Davi! Ao escrever este Salmo, ou seja, essa “canção”, estava passando por um momento muito complicado em sua vida e também reinado... Pois, já no início dessa canção! Ele levanta um questionamento dizendo:  Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs!
DESENVOLVIMENTO: Muitas vezes em nossa vida, passando por situações difíceis e complicadas. Assim, foi com Davi, um homem cheio de limitações que teve que superar cada dia as humilhações, questionamentos, fúrias, guerras e sentimentos internos e externos.
Davi! Teve uma grande dificuldade, pois, conversando com a irmã e Coach Ana Paula essa semana (09 de Fevereiro de 2018) ela comentou algo poderoso quando falou que muitas pessoas vivem procurando a auto aceitação e com Davi não foi diferente que vivia na “crista da onda” um dia embaixo e outro lá em cima.
Davi! Foi questionado muitas vezes na sua vida.
1.      Questionado pelo pai.
2.      Questionado pelos irmãos.
3.      Questionado pelo Saul.
4.      Questionado pelo Golias.
5.      Questionado pelas suas atitudes.
6.      Questionado pela sua posição.
7.      Questionado pela dança.
8.      Questionado pela esposa Mical.
9.      Questionado pelo Profeta Natã.
10.  Questionado pelos filhos.
11.  Questionado pelo soldados e nação.
12.  Questionado até mesmo pelo SENHOR

Ou seja, a vida e reinado de Davi não foi fácil... Ele viveu muitas guerras e teve que tomar muitas decisões difíceis, como por exemplo, ao chegar em casa e ver que todo seu reino tinha sido saqueado... Imagina a mente desse cara! Para ou avança.

PRESTE ATENÇÃO: Davi nos dar uma pista que reis e príncipes podem se levantar contra nós... Mas, se tivermos ligados em D`us e nas Suas Promessas não seremos atingidos.

A Promessa que “ninguém toca num ungido de D`us” passa pela obediência e tratamento de caráter todos os dias. Davi! Era um homem segundo o coração de D`us, mas não deixou de sofrer as consequências dos seus atos que não estavam respaldados pelos Propósitos de D`us.

OBS: Certa vez, D`us pediu algo para Davi e ele fez de qualquer forma... Ele estava mais preocupado com a quantidade de homens para a guerra, do que dos homens “religiosos” que poderiam salvar a nação de uma desgraça maior. Veio então! O SENHOR a Gade, um dos profetas daquela época e diz a Davi que D`eus falou com ele e lhe deu três opções de castigo.

Essa história se encontra em 2 Samuel 24. 13 – 14 diz: Então Gade foi a Davi e lhe perguntou: "O que você prefere: três anos de fome em sua terra; três meses fugindo de seus adversários, que o perseguirão; ou três dias de praga em sua terra? Pense bem e diga-me o que deverei responder Àquele que me enviou". Davi respondeu: "É grande a minha angústia! Prefiro cair nas mãos do SENHOR, pois grande é a sua misericórdia, e não nas mãos dos homens".

Quando alguém se levanta contra nós... Na verdade essas pessoas estão tentando colocar medo e fixar uma autoridade sobre nós no mundo espiritual, que muitas vezes, é mais complicada dos que as batalhas no físico. E a verdade é uma só! Elas se levantam para firmar ainda mais a nossa fé.

Porém, Davi nos revela que no tempo de D`us... Aquele que está nos céus, vai entrar na nossa causa e o Seu decreto vai ser liberado quando Ele declarar: Tu es meu filho...

Entretanto! Para ouvirmos esse decreto, temos que reconhece-lo como Pai.

Volto a dizer: Mesmo que os nossos “pais” um dia, sem conhecimento da Palavra de D`us, nos disse que fomos um acidente, não aceite isso e toma posse da Palavra de D`us neste Salmo quando diz que: Ele nos gerou, Ele sonhou com cada um aqui, Ele sabia exatamente cada detalhe e sabe onde somos fracos, fortes e conhece o nosso potencial intelectual e espiritual para ganhar as nações. Já que, em Jeremias 1. 5 diz: Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.

Essa é a promessa de D`us... Que somos filhos e não escravos.

Quando somos filhos... Estamos entendendo que somos 100% dependente do nosso Pai.

Aprendi uma frase poderosa num livro que diz: Ninguém gosta de passar provações, mas por trás de cada uma delas podemos morrer para voltarmos a viver. [1]

CONCLUSÃO: O que podemos aprender com esse texto?

Podemos aprender que a justiça de D`us pode demorar, mas não vai falhar...

Neste Salmo os versículos 10 e 11 nos deixam um alerta para aqueles que não servem a D`us e tentam fazer mal as pessoas quando diz: Agora, pois, ó reis, sede prudente; deixai-vos advertir, juízes da terra. Servi ao SENHOR com temor e alegrai-vos n`Ele com tremor.

Aqueles que não reconhecem o SENHORIO do Eterno e vivem tentando fazer o mal nesta terra, vão pagar um alto preço. Pois, aqueles que não buscam a D`us e a Sua justiça vão perecer e vão sofrer no fogo do inferno. Pois, o livre arbítrio (dentro da igreja) neste caso de não reconhecê-lo é declarar que Ele não é SENHOR das nossas vidas e que muito menos Ele é o Nosso Pai.

Já que o próprio D`us dar a oportunidade para Seus filhos voltarem e saírem da rebeldia que começou com a desobediência de Lúcifer, que era uma anjo de luz, mas, se deixou levar pela a arrogância de querer ser igual a D`us. (Conforme os textos de Is 14. 12 - 14 e Ez 28. 12 - 15).

O texto do Salmo 2 nos alerta que temos que lutar com as forças de D`us e não com as nossas forças... Aquele que no SENHOR, buscam a proteção tem muito mais chances de sair vencedores do que aqueles que querem lutar com a sua própria força.

Aceite o SENHOR nesta noite de todo seu coração e você vai ver os milagres e promessas acontecerem em suas vidas.

Três conceitos aprendemos hoje que são:

Ungidos podem ser tocados quando não caminham segundo a vontade do SENHOR.

Na dor e nas perseguições somos modelados para sabermos quem somos. [2]

Confiar em D`us.

Em Mateus 6. 33 temos as promessas que nos diz: Busquem em primeiro lugar o Reino de D`us e a Sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas.

O que você deseja nesta noite!

O que tem te tirado do foco?

Quem se levantou contra sua vida que está de deixando encurvado?

Eu não sei... Mas, algo lhe digo: Faça como Davi! Cante, ore e entrega seus caminhos e se refugia no SENHOR que tem Poder e Autoridade para acabar com os seus problemas e dificuldades, sabendo que no Tempo d`Ele, Ele vai vim ao nosso favor, assim como foi com Davi que se refugiou nos Braços de D`us e recebeu livramento.



[1]  Declarações de Poder para os 365 dias do Ano. Pg. 114 – Volume 1.
[2]  Centro de Inteligência e Desenvolvimento – C.I.D.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

DURA É A PALAVRA DE D`US... MAS, JUSTIÇA PARA NOSSA VIDA


Texto Motivador: Provérbios 6. 12 – 19

Os homens maus e sem valor vivem dizendo mentiras. Piscam e fazem gestos para enganar os outros. As suas mentes perversas estão sempre planejando o mal, e eles espalham confusão por toda parte. Por isso a desgraça cairá de repente sobre eles, e não poderão escapar. Existem sete coisas que o SENHOR Deus detesta e que não pode tolerar: o olhar orgulhoso, a língua mentirosa, mãos que matam gente inocente, a mente que faz planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que diz mentiras e a pessoa que provoca brigas entre amigos.

INTRODUÇÃO: A Palavra de D`us nos mostra que Salomão, enquanto andou com D`us foi o homem mais sábio que existiu na Terra.
            
Salomão! Antes de ser um grande rei e sábio em Israel, conta a história
 Bíblica que ele certa vez, pegou seus oficiais e saiu para oferecer sacrifícios no altar de bronze, que havia sido feito por Bezalel, filho de Uri e neto de Hur, que estava em frente da Tenda Sagrada. O rei Salomão e todo o povo de Israel foram lá para adorar a Deus. Ali, no altar de bronze, Salomão ofereceu a Deus em sacrifício mil animais, que foram completamente queimados. (Conforme 2 Crônicas 1. 5 – 6).
            
E diz a Palavra do SENHOR que, nesta mesma noite o Próprio D`us apareceu para Salomão e perguntou o que poderia fazer para ele e logo em seguida Salomão relembrou o SENHOR o seguinte: Tu sempre mostraste um grande amor por Davi, o meu pai, e deixaste que eu ficasse como rei no lugar dele.  E agora, ó Senhor Deus, cumpre a promessa que fizeste ao meu pai. Já que me fizeste rei de um povo tão numeroso como o pó da terra, dá-me sabedoria e conhecimento para que eu possa governá-lo. Se não for assim, como poderei governar este teu grande povo? (Conforme 2 Crônicas 1. 8 – 10)
            
O Coração do Eterno Bradou forte neste momento e D`us lhe disse: Visto que você pediu sabedoria e conhecimento para governar o meu povo, de quem eu fiz você rei, em vez de pedir riquezas, bens, ou honras, ou a morte dos seus inimigos, ou vida longa, eu lhe darei sabedoria e conhecimento. E lhe darei também mais riquezas, bens e honras do que qualquer outro rei teve antes de você ou terá depois. (Conforme 2 Crônicas 1. 11 – 12)
            
E logo em seguida, Salomão e todo aquele povo que estava com ele, saiu dali e voltaram para Israel onde Salomão durante muitos anos governou com sabedoria e conhecimento.
            
Mas, nada disso seria provável se ele não tivesse escutado seu pai Davi quando esse disse: Seja forte e seja homem... Obedeça ao SENHOR e os Mandamentos de Moises que D`us vai cumprir as promessas liberada sobre a nossa geração que se fossem fieis nunca iria faltar um dessedente deles no Trono de Israel. (Conforme 1 Reis 2.)

DESENVOLVIMENTO: O livro de Provérbios nos mostra a fidelidade daqueles que andam no caminho certo e se desviam do mal. Consegue nos orientar ao sair dos caminhos das Trevas e nos conduz a um caminho de Luz e Paz Eterna.
            
Salomão... Já naquela época, exortava a nação de Israel e dava instruções sobre as atitudes não só para com D`us, mas, também com o próximo. Ou seja, para vivermos uma vida de propósitos de vida eterna, temos que seguir alguns princípios.
            
E o texto que pegamos como texto motivacional, nos dar uma direção das coisas que temos que evitar em nossas vidas, se não as destruições pessoais e até mesmo familiares nas partes espirituais, sentimentais e financeiras podem chegar a qualquer momento se não vigiarmos no Mundo Espiritual e carnal.
            
Salomão disse que tem Sete coisas que D`us detesta e que não pode tolerar... Preste atenção! A palavra “detesta” tem a ver com horror ou aversão por alguém. Assim como, “não tolerar” tem a ver com não suportar.
            
Duas palavras fortes, que nos dar direcionamento para fulgir dessas coisas... Pois, são justamente essas coisas que tem acabado e dividido o Reino de D`us hoje.
            
Salomão então! De uma forma poética segundo os Teólogos, seleciona apenas sete daquilo que é a-bo-mi-na-ção diante d`Ele e cita cada uma delas ao dizer que são: o olhar orgulhoso, a língua mentirosa, mãos que matam gente inocente, a mente que faz planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que diz mentiras e a pessoa que provoca brigas entre amigos.
            
Sete coisas, que todos os dias e momentos estamos fazendo, praticando e vivendo como se fosse a coisa mais natural do mundo... Mas, não é.
            
Sobre o olhar orgulhoso D`us não gosta desse tipo de pessoa uma vez que, passa uma impressão que somos melhores do que os outros.
            
Língua mentirosa é aquela que é cheia de malédica.... Que só fala besteira e toda hora está falando mal de alguém ou alguma coisa do que viu ou sentiu e deseja espalhar de uma forma muito sutil para não aparecer que essa pessoa que levanta mentira a todo tempo não é uma pessoa triste, infeliz e tenta maquiar a Palavra de D`us quando nos alerta que o pai da mentira é o diabo (Conforme João 8. 44).
            
Mãos que matam... Ninguém tem o direito de tirar a vida de alguém. Pois, um dos grandes Mandamentos de D`us é não matar. Porém, matamos muitas pessoas todos os dias. Seja ela na forma física, espiritual e sentimental.
            
Mente que faz planos perversos... A natureza do pecado está dentro de nós. Porém, temos que ter controle sobre ela todos os dias e não deixar que a nossa mente e o nosso corpo sejam controlados por ela. Nós, não podemos ser agentes do mal para prejudicar pessoas.
            
Pés que correm para fazer o mal... Sabe aquele irmão que sai da casa dele e vai na sua e diz: Ficou sabendo? Hummmm tenho algo pra te contar... E por aí vai. São pés que anunciam tragédias e não salvação.
            
Testemunhas falsas... Vira e mexe, estamos sendo convidados a sermos testemunhas de muitas pessoas que no fundo no fundo sabemos que não tem caráter. E como não sabemos dizer “não” compactuamos com o ou os erros dessas pessoas. Pois, em Provérbios 19. 9 diz que: A falsa testemunha não viverá sem castigo, e o que profere mentiras perecerá.     
             
E aqueles que semeiam contendas entre irmão... Diz a Palavra do SENHOR que essa atitude D`us a-bo-mi-na que tem a ver com am-ti-pa-ti-a ou seja, indiferente.
            
PRESTE ATENÇÃO: Para um Pai (Divino), tratar indiferente... Pouca coisa não fizemos.  
           
CONCLUSÃO: Todo pecado é gerado no íntimo... Que depois, passa pelas nossas ações.
            
E a nossa “língua” é a grande inimiga desses princípios. Pois, ela tem poder de amaldiçoar ou abençoar E no Salmo 19. 14 diz: Que as palavras da minha boca... Sejam agradáveis a D`us. Pois, Tiago já no alertava que a língua ela também tem poder de fogo, pois, pode causar muito estrago, onde são geradas, até mesmo essas ações que acabamos de ler.
            
Já que, toda ação gera uma reação.
            
O Nosso D`us é um D`us de simplicidade das coisas... Nada é impossível para Ele.
            
Uma vez que, aprendemos no sermão passado, que Jesus Cristo, resumiu todo mandamento em dois que são: Amar a D`us sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmo.
            
Partindo dessas primícias! Creio que não temos como errar e vivermos uma vida de santidade diante de D`us.
            
Uma vez que, a Palavra de D`us nunca vem ou é vazia... Assim, são as nossas atitudes nos falar, agir e pensar com Ele e com o próximo.
            
Salamão entendia tanto isso que ele deixa claro em Provérbios 6. 2 o seguinte: Estás enredado com o que dizem os teus lábios, está preso com as palavras da sua boca...
            
Pois, Jesus Cristo já alertava o povo dizendo fortemente: Raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração. (Conforme Mateus 12. 34)
            
As palavras e as nossas atitudes hoje, nos comprometem para o mal ou para o bem com o nosso futuro que é o desejo de morar no Céu... E não adianta chegar lá no Céu e dizer: SENHOR! Eu preguei, ensinei, cantei, dancei, fiquei sentado em todos os Cultos oficiais ouvindo vários pastores, jejuei, orei e até salvei fulano que entrou antes de mim aí...
            
Naquele dia Ele pode nos dizer conforme em Mateus 7. 23: Nunca os consegui... Afasta-se de Mim você que praticou o mal.

            
Meu D`us... Dura é a Sua Palavra, mas, justiça para a nossa vida... 

Que a Sabedoria de Salomão... Enquanto caminhava com D`us venha nos impactar nesta noite e nos dar direcionamento Eterno e de GRANDEZA vinda dos Céus sobre a nossa vida e ministério.

Um abraço fraterno!

Pastor Anderson Magno