domingo, 15 de abril de 2018

LIVRES




Texto base: João 8. 36
            Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.   

INTRODUÇÃO: Nesta Palavra, podemos observar Jesus Cristo tendo um grande debate sobre ser livre no SENHOR.
Ser livre na verdade e saber conquistar a liberdade... Uma vez que, muitos querem o bônus da liberdade, mas, não querem o ônus que ela exige... Ou seja, não querem pagar preço. Pois, vivemos no Tempo da Graça, mas a Graça não é de graça.
O povo de Israel, viviam debaixo de uma promessa que foi liberada pelo próprio Eterno que eles seriam livres... Mas, o grande problema era a mentalidade do sa-u-do-sis-moque eles tinham. Essa palavra, sa-u-do-sis-mo tem a ver com tendência, gosto fundado na valorização demasiada do passado. E também, fidelidade a princípios políticos, ideais, usos e costumes que já não são aceitos.
DESENVOLVIMENTO: Jesus Cristo... Muitas vezes falava no Espiritual. E nesta passagem, Ele estava falando no Espiritual para aqueles que estavam Lhe ouvindo.
Uma dessas conversas espirituais, foi quando uma mulher foi pega em adultério... Os homens falavam no carnal... Jesus Cristo no Espirito quando disse: Se alguém não tem pecado, que atire a primeira pedra...Na mesma passagem! Ele disse que era Luz. E quem andasse sobre essa Luz que era Ele... Nunca mais andaria nas Trevas. Além de enfatizar a Sua obediência ao Pai.
Jesus! Falava e explicava coisas do Reino e as pessoas continuavam entendendo as coisas no mundo físico.
Jesus conversava com homens da Lei, conhecedores da Palavra, pessoas cultas e muitos fiéis ao Judaísmo da época. Porém! Tudo que Ele ensinava era novo e as pessoas tinham uma grande dificuldade de entender Seus ensinos.
Ao ponto d`Ele mesmo, Jesus Cristo declarar o seguinte em João 8. 28 – 30: Por isso Jesus disse:Quando vocês levantarem o Filho do Homem, saberão que “Eu Sou Quem Sou”. E saberão também que não faço nada por minha conta, mas falo somente o que o meu Pai me ensinou. Quem me enviou está comigo e não me deixou sozinho, pois faço sempre o que lhe agrada.Quando Jesus disse isso, muitos creram nele.
Jesus Cristo! Na verdade, estava querendo liberar os Filhos de D-us das prisões emocionais, psicológicas e espirituais que estava atrapalhando as coisas Eternas naquela Nação... Pois, muitos Judeus conheciam coisas sobre D-us, mas, não guardava coisas Eternas no seu coração.
Ou seja, Jesus Cristo, queria que eles tivessem intimidade de verdade e não coisas superficiais... As pessoas naquela época! Valorizavam demais Abraão, Moises e outros grandes líderes religiosos e revolucionários da época, como o próprio João Batista. Mas, estavam com dificuldade de reconhecer o Filho de D-us que veio em forma de homem e estava ali, operando grandes sinais e maravilhas como D-us.
Olha que Jesus Cristo disse para essas pessoas depois que Ele comentou sobre Abraão em  João 8. 39 – 43: O nosso pai é Abraão! Responderam eles. Então Jesus disse: Se vocês fossem, de fato, filhos de Abraão, fariam o que ele fez. Mas eu lhes tenho dito a verdade que ouvi de D-us, e assim mesmo vocês estão tentando me matar. Abraão nunca fez uma coisa assim! Vocês estão fazendo o que o pai de vocês fez. Eles responderam: Nós não somos filhos ilegítimos; nós temos um Pai, que é D-us!Jesus disse a eles: Se Deus fosse, de fato, o Pai de vocês, então vocês me amariam, pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por minha própria conta, mas foi Deus que me enviou. Por que é que vocês não entendem o que eu digo? É porque não querem ouvir a minha mensagem. 
Particularmente! Eu gosto quando Jesus Cristo nos confronta na Palavra... Pois, ainda hoje, tem muitas pessoas querendo viver nas Trevas, vivendo dos seus achismos e conceitos. Não liberando perdão e também não sendo perdoados, vivendo para lá e para cá, recebendo várias digitais e ensinamentos que não são bíblicos e muitos estão até dentro da Igreja... Mas, como disse um dia o Bispo Paulo Rangel numa reunião de discipulado: Vivem como zumbis dentro da Igreja... Andam pra lá e pra cá e nada recebem...

Jesus Cristo não tinha pecado sobre Ele... Por isso, Ele ensinava o que ensinava, falava o que falava e fazia o que fazia... Um homem ou uma mulher, quando está debaixo da Luz que é Cristo Jesus, não tem que se envergonhar. Pois, o próprio D-us lhe respalda e lhe protege de toda fúria do inimigo.
Os Judeus era como o Jovem Rico... Conheciam a Palavra, tinha promessa sobre a sua vida, conhecia os Mandamentos e muitos eram cultos e tinham até dinheiro... Mas, só sabiam e viviam de passado... Porém, não viviam e não guardavam em seu coração coisas atuais e coisas Eternas.

Jesus Cristo! Confrontava esses homens e mulheres no seu caráter... Pois, o Próprio Jesus resumiu mais de 613 mandamentos, leis e ensinos em apenas 2 que era: Amaras Seu D-us sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Esses homens e mulheres... Estavam esquecendo um MANDAMENTO DIVINO nesta passagem... Que era não MATAR. Já que, todas as vezes que eram confrontados, o homem carnal aparecia e a sede de vingança era maior do que o quebrantamento e coração ensinável.

PRESTE ATENÇÃO NESTA FRASE DE CRISTO JESUS EM JOÃO 8. 42: Se Deus fosse, de fato, o Pai de vocês, então vocês me amariam, pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por minha própria conta, mas foi Deus que me enviou.
Jesus Cristo... Estava querendo liberar aquelas almas dos cárceres... Pois, Jesus os alertou que todo espirito de rebelião vem das Trevas... Ele estava alertando que esse comportamento de rebeldia... Era comportamento de filhos do diabo que deste o início da Criação foi assassino e mentiroso (João 8. 44)

CONCLUSÃO: O que podemos aprender com esse texto!
Podemos aprender três conceitos Bíblicos para vivermos uma vida de paz e harmonia nesta Terra que são:

1º Gálatas 5. 1: Foi para a liberdade que Cristo nos libertou! Portanto, permanecei firmes e não vos sujeiteis outra vez a um jugo de escravidão...Palavra Eterna para vivermos uma vida plena diante de D-us... Foi para nos libertar que Cristo Jesus veio nesta Terra e morreu pelos nossos pecados. Por isso, temos que nos desviarmos do mal e caminharmos na Luz que é Cristo Jesus.

2º 1 Pedro 2. 16: Considerando que sois livres, não useis a liberdade como pretexto para fazer o que é mal, mas vivei como servos de Deus: Como eu disse... Vivemos na Graça... Mas, essa Graça não é de graça. Tem um preço para continuar neste favor imerecido de D-us que é continuar nos Caminhos Eternos e hoje! Depois de salvos... Sermos servos do D-us Altíssimo, através do Seu Filho Jesus Cristo e também pela Ação do Espirito Santo.

3º João 8. 32: E conhecerão a verdade e a Verdade os libertará: Sobre qual verdade que estamos ensinando aqui! “Jesus Cristo”... Ele que É a Luz desse mundo e é Sobre essa Luz que temos que andar todos os dias e momentos.

Pois, quando saímos fora dessa “Verdade” vivemos num caos... Vivemos num lugar, mesmo em meio as multidões, sempre nos sentimos sozinhos e abatidos. Não temos forças, não temos clarezas e muitas vezes, damos lugar as Trevas.

Quando aceitamos a Jesus Cristo... As coisas com Ele é no Espiritual. Pois, se focarmos nas Terrenas, não vamos receber e ver os milagres e maravilhas que Ele nos deixou.

Por isso, vivam hoje como homens e mulheres “Livres No Senhor”... Vivam a Vida de D-us e os Seus Mandamentos que é Vida Eterna.

Seja livre de todo mal, doenças e maledicências que tem atrapalhado o crescimento espiritual de muitos crentes nesta Terra... Vivam como Filhos e Filhas de D-us em Nome de Jesus Cristo.


domingo, 1 de abril de 2018

MEMORIAL E IDENTIDADE




Texto Motivador: Lucas 23. 32 – 33 e 39 - 43
32 E também conduziram outros dois, que eram malfeitores, para com Ele serem mortos. 33 E, quando chegaram ao lugar chamado a “Caveira”, ali o crucificaram e aos malfeitores, um, à direita, e outro, à esquerda...
            
39 Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também. 40 Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? 41 Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. 42 E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. 43 Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.

INTRODUÇÃO: Nesta semana estamos comemorando a Páscoa... Que segundo a Palavra Hebraica significa (Pêssarr) e tem como significado a palavra “passagem”...

No texto Bíblico de Êxodo 12. 26 - 27 nos lembra o por que temos que comemorar essa FESTA quando diz: E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?
Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou.
            
É uma FESTA instituída por D-us como um memorial para que os filhos de Israel jamais se esquecessem que foram escravos no Egito, e que o próprio D-us os libertou com as Suas mãos poderosas, trazendo juízo sobre os deuses do Egito e sobre Faraó. 
            
Essa FESTA também tem a ver com um MEMORIAL E IDENTIDADE para lembrar os filhos de Israel que nunca se esquecesse quem foi, quem é e o que deve ser. Da mesma forma, todos os que são discípulos de Jesus Cristo O Mashiach (Cristo) são co-herdeiros e co-participantes das promessas e das alianças dadas por D-us a Israel, pois através do Evangelho que foram espalhados em ISRAEL e são parte do mesmo corpo (judeus e não-judeus).
Assim! Como sendo também da Família de D-us conforme o texto de Efesio 3. 6 que diz: O secreto é este: por meio do evangelho os não-judeus participam com os judeus das bênçãos divinas. Eles são membros do nosso corpo e participam da promessa que D-us fez por meio de Cristo Jesus. Da mesma forma, os ensinamentos deixados pelo Apostolo Paulo aos Coríntios que diz em I Co 5. 8: Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade. Os discípulos de Yeshua não-judeus podem e devem também celebrar este memorial... [1]

DESENVOLVIMENTO: O relato que lemos, estava num processo da Páscoa, ou seja, os judeus já estavam entrando no processo das comemorações da FESTA de Páscoa...
            
E foi exatamente, numa semana de Páscoa que Jesus Cristo foi traído, humilhado, vendido, espancado, questionado, açoitado e até mesmo esquecido por aqueles que o seguiam e foram direto ou indiretamente Seus discípulos... Ao lermos a Palavra de D-us, percebemos que não foi uma semana fácil... Pois, um dos Seus discípulos iria Trai-Lo... Outro, iria Nega-Lo e os outros iriam se espalharem e outros se escondenderem. Ou seja, Jesus Cristo, ficaria sozinho naquele momento. Pois, os discípulos sabiam que a morte de Cruz era a mais cruel e covarde que um cidadão daquela época poderia sofrer.
            
Sendo assim, Jesus Cristo! Não quebrou princípios ao aceitar o desafio de cumprir, tudo aquilo que estava sobre a Sua responsabilidade de fazer, que era de salvar toda a humanidade e levanto sobre Ele todos os nossos pecados.
            
PRESTE ATENÇÃO: Que mesmo com a Traição de Judas, a negação de Pedro e os outros fugindo e escondendo por aquela região, Jesus! Não deixou de Ama-los e mesmo num processo de dor e sofrimento, ainda mostrou muito amor por eles e por toda humanidade.
            
Infelizmente muitos de nós estamos traindo e negando a Jesus Cristo nos nossos atos e discursos.... Negociamos demais a Sua Presença por coisas banais e estamos deixando de cumprir nossos propósitos que é expandir o Reino de D-us neste mundo e salva-las e batiza-las no Nome do Pai, do Filho (Jesus Cristo) e do Espirito Santo.
            
Aí! Me chamou a atenção o texto que lemos que fala dos dois ladrões que foram crucificados juntos com Cristo no texto de Lucas 23. Olha que interessante! Momentos antes, alguns discípulos estavam discutindo quem iria sentar na Gloria ao lado direito e do lado esquerdo de Jesus Cristo e naquele exato momento, Ele estava sendo crucificado com dois malfeitores que tem muito a nos ensinar e prestar atenção na nossa caminhada de fé dentro e fora da Igreja de Cristo.
            
No Vers. 39 diz: Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra Ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também: Blasfemar e ser mal falado e caluniado por alguém. Esse malfeitor, esse ladrão... Estava numa situação ao qual, ele estava num momento perigoso da sua vida e mesmo assim, não se rende e não se arrepende de seus pecados diante D`aquele que poderia mudar a sua sorte e o seu destino. Prefere zombar e continuar com a sua prepotência diante daquele que ele mesmo chamou de “Cristo”...  
            
Os Vers. 40 ao 42 nos mostra outra realidade daquela situação:  Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? 41 Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. 42 E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino:

            
Um dos atos mais belo da Palavra de D-us é a atitude de amor e respeito que esse malfeitor teve para com o Nosso Senhor. Esse malfeitor, defendeu a honra de Cristo Jesus e reconheceu seus erros e sabia que o caminho que escolheu era de morte. Porém! Reconheceu seu erro e pediu perdão.
            
Existe um ditado popular que diz: Aqui se faz e aqui se paga.
            
Mas, esse homem! Ficou marcado na história, por causa da sua nobreza ao Reconhecer que Jesus Cristo nada fez para merecer aquilo e até mesmo, sendo um ladrão, um homem que talvez, prejudicou muitas pessoas, e repreendeu seu companheiro.
            
Isto é! Ele defendeu a HONRA de Cristo Jesus... E ainda! Pediu algo Poderoso a Jesus Cristo pedindo para o Senhor lembrar dele quando vieres no Teu reino.
            
E por último! O Vers. 43 que nos mostra Jesus lhe respondendo: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso... Repitam comigo: É preciso, ter fé, coragem e sabedoria... Para, seguir a Cristo Jesus... Esse ladrão! Foi o primeiro a ser salvo e entrar no Paraiso com Cristo.
            
Esse ladrão, assim, como muitas pessoas não fez milagre, não ressuscitou mortos, não salvou ninguém... Mas, uma coisa ele fez: RECONHECEU A CRISTO JESUS COMO SEU SALVADOR.

CONCLUSÃO: Que essa passagem da Páscoa, nos mostra algo poderoso da parte de D-us... Lembra-se! Da onde D-us de tirou... E onde Ele deseja de colocar. Lembra-se! Nós éramos escravos do mundo, do pecado e da ignorância... Hoje! Somos libertos e remidos pelo Sangue de Jesus Cristo.
            
Esse texto! Nos mostra o Poder Salvífico de Jesus Cristo, ou seja, a Salvação através da Cruz do Calvário, que era um lugar de morte e terror e naquele lugar... Tudo que fazia separação entre nós e D-us foi rasgado e Cristo nos regenerou, isto é, nos corrigiu, restaurou, renovou e revivificou para que todos aqueles que Nele Crê sejam Salvos e Libertos conforme o Texto de João 3. 15 que diz: Para que todos que Nele (Jesus Cristo) Crê não venha perecer... Mas, tenha vida eterna.
            
Volto a repeti... O Meu Herói é Jesus Cristo! Morreu naquela Cruz, perdoando um ladrão e salvando o outro.
            
E esse Memorial que aconteceu na semana da Páscoa Judaica... Também, venha lembrar os Cristãos de hoje, que existe um D-us, que através do Seu Filho Jesus Cristo e também pela Ação do Espirito Santo, nos tirou das trevas e nos colocou no caminho da Luz.
            
OLHA SÓ: A mensagem da Cruz tem Poder não por causa do pregador que sou “eu”, mas por causa daquele que foi pregado nela... “Jesus Cristo de Nazaré”. (Apostolo Milton Ebenezer)
            
PRESTE ATENÇÃO NAS PROMESSAS QUE LI ESSA SEMANA... Jesus Cristo disse que viria e veio. Disse que morreria e morreu... Ele também disse, que ressuscitaria, ressuscitou... E disse ainda! Que voltaria e agora é só esperar a promessa se cumprir.
            
Que D-us nos abençoe grandemente em Nome de Jesus Cristo...


[1] http://ensinandodesiao.org.br – Acesso em 31 de Março de 2018.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

A PALAVRA DE DEUS NOS DAR PROTEÇÃO



Texto Motivador: 1 Reis 3. 16 – 28
Então vieram duas mulheres prostitutas ao rei, e se puseram perante ele. E disse-lhe uma das mulheres: Ah! senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, estando com ela naquela casa. E sucedeu que, ao terceiro dia, depois do meu parto, teve um filho também esta mulher; estávamos juntas; nenhum estranho estava conosco na casa; somente nós duas naquela casa. E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele. E levantou-se à meia-noite, e tirou o meu filho do meu lado, enquanto dormia a tua serva, e o deitou no seu seio; e a seu filho morto deitou no meu seio. E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era meu filho, que eu havia tido. Então disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho o vivo. Assim falaram perante o rei. Então disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho o morto; e esta outra diz: Não, por certo, o morto é teu filho e meu filho o vivo. Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra. Mas a mulher, cujo filho era o vivo, falou ao rei (porque as suas entranhas se lhe enterneceram por seu filho), e disse: Ah! senhor meu, dai-lhe o menino vivo, e de modo nenhum o mateis. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o. Então respondeu o rei, e disse: Dai a esta o menino vivo, e de maneira nenhuma o mateis, porque esta é sua mãe. E todo o Israel ouviu o juízo que havia dado o rei, e temeu ao rei; porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça.

INTRODUÇÃO: Semana passada! Falamos de um D-us que é justiça e julga a nossa causa. Essa semana, vamos falar de um homem, que segundo o conhecimento Bíblico, foi o homem mais rico e mais sábio desse mundo. Seu nome é Salomão, filho de Davi e rei de Israel.

DESENVOLVIMENTO: Neste mesmo capitulo que lemos... Percebemos que Salomão foi a cidade de Gibeom (Gibeão = Cidade do Monte) que era uma cidade levítica de Benjamim (Bíblia Strong Eletronica) e nesta cidade, depois de ter sacrificado mil holocausto naquele dia, o próprio D-us apareceu para ele em sonhos e disse: Pede o que queres que eu te dê. (Conforme o texto de 1 Reis 3. 5).

Salomão naquele momento abre o coração (mesmo em sonhos) para D-us e o lembra das promessas ao qual o próprio D-us fez com Davi seu pai. Se estivesse alguém que caminhasse nos caminhos d`Ele, o Trono sempre seria ocupado por alguém da descendência de Davi...

Mas, como todo chamado, tem em primeiro lugar uma negação e um questionamento disse para D-us: sou apenas um menino pequeno; não sei como sair, nem como entrar. E teu servo está no meio do teu povo que elegeste; povo grande, que nem se pode contar, nem numerar, pela sua multidão. A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo? (Conforme 1 Reis 3. 7 – 9)

Depois que D-us... Sondou o “coração de Salomão” em sonhos e naquela nesta noite, o próprio D-us liberou sobre ele a “unção do dis-cer-ni-men-to” que segundo o nosso dicionário tem a ver com a capacidade de compreender situações, de separar o certo do errado. Além de saber avaliar as coisas com bom senso e clareza (https://www.google.com.br).

PRESTE ATENÇÃO! Depois que Salomão recebeu essa “unção”... Percebeu que era sonho e ainda não tinha conhecimento que já tinha recebido. Logo depois, que saiu novamente para fazer holocausto ao SENHOR, voltando se viu numa situação i-nu-si-ta-da.

Duas mulheres prostitutas, ganharam seus filhos quase no mesmo período e ainda por cima, moravam juntas... Só que, houve uma fatalidade naquela casa. Uma das crianças veio a morre, pois, segundo a acusadora, essa mulher deitou sobre o seu filho que veio a falecer.

Porém, ao perceber que seu filho estava morto, numa ação desesperada, tomou para si o filho da outra mulher e começou a tratar como seu filho.

Chegou um determinado momento que começou a haver uma grande discursão sobre de quem era de verdade o bebe.

LEMBRA-SE: Salomão tinha acabado de receber a “unção de dis-cer-ni-men-to” da parte de D-us e logo de cara já pega uma causa dessa, que na minha opinião era muito difícil. Uma vez que, se tratava de uma mãe que viu seu filho numa situação de perigo de vida, do outro lado, uma mulher que acabou de perder seu filho e estava num momento de “pico de Surto Psicótico que é quando um episódio de desorganização da representação da realidade ao qual a pessoa estava vivendo(https://pt.wikipedia.org) ou seja, essa mulher entrou num mundo ao qual não era a sua realidade, uma vez que, a criança não era seu filh. E a criança que estava vulnerável e estava correndo risco de vida.

Porém, existe uma frase que diz o seguinte: Saber ouvir quase que é responder.  (Pierre Marivaux) e Salomão ouviu as duas... E tomou uma decisão que aos olhos humanos poderia ser uma tragédia.

Salomão pediu uma espada e disse que: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo; e dai metade a uma, e metade a outra.


Olha o que nos diz o texto de Hebreus 4. 12: Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

Neste exato momento foi revelado algo poderoso no mundo espiritual... Onde que, diante de D-us toda mentira, complô e retaliação espiritual e física cai por Terra... A mulher que gerou a criança no seu ventre... Deu um grito e disse que não precisava fazer aquilo e poderia deixar a criança viva e que ficasse com a mulher que estava alegando que era dela.

Já a outra, desejou que Salomão verdadeiramente cortasse a criança, pois, assim nem ela e nem a outra teriam a criança viva em seus braços. Então! Quem era a mãe? A primeira ou a segunda.

Claro que é a primeira que por ter gerado a criança, se viu numa situação muito difícil ao perceber que aquela criança iria sofrer uma sentença tão grave que era a sua morte.

Salomão ao perceber as atitudes de ambas.... Automaticamente viu quem era mãe de verdade e entregou a criança a mãe legitima.

Sendo Assim! O que esse sermão tem para nos ensinar?

Em Mateus  5. 6 diz: Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos. Muitas vezes, pessoas vão tentar roubar aquilo que é nosso. Mas, temos que acreditar num D-us que entra na nossa peleja e Ele vai entrar com providencia. Então! Assim como essa mãe, vai aos pés do Reis dos reis e conte sua causa que tem de tirado a paz.

Já em Deuteronômio 32. 4 comenta: É D-us Fiel, que não comete erros; justo e reto Ele é. Mesmo que demore um pouco, D-us entrar na sua causa... Confie sempre, pois, Ele não erra e a Sua Palavra é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração conforme já aprendemos aqui neste sermão. Preste atenção! Para essa mãe pode ter sido algumas horas só... Mas, que apareceu uma eternidade devido a toda situação que aquilo foi gerado.

Para finalizar! No livro de Salmos 11. 7 nos deixa claro quando revela que: O SENHOR é justo e ama a justiça; os retos verão a sua face... O Espirito de D-us estava sobre Salomão, que na sua primeira causa, pega uma situação tão difícil... Mas, com a ajuda de D-us soube resolver de uma forma extraordinária ao ponto de todo o Israel ouvir o juízo que havia dado Salomão, e temeram a Salomão que já estava reinando naquela nação em lugar de seu pai Davi; porque viram que havia nele a sabedoria de D - us, para fazer justiça.

Assim! Declaro nesta noite que D-us vai entrar na nossa causa e acabar com essa situação de angustia e dor que pode estar tentando nos paralisar ou tirar a nossa paz, seja ela no mundo espiritual ou físico.

PRESTE ATENÇÃO MAIS UMA VEZ: A Palavra de D-us é a única que pode nos trazer sabedoria a nossa vida, esperança para nossa família e a proteção de uma glória eterna. (César Castellanos)

Então! Venha até o Altar e deixa D-us julgar a sua causa neste noite... Pois, tudo aquilo que você gerou, seja no mundo físico ou espiritual, o diabo não vai tomar. Creia e viva a Palavra de D-us que é vida e   traz a Paz... E libero sobre a sua vida: Sede fortalecidos no Senhor e na força do Seu Poder. (Conforme Efésios . 6. 10).

Que D-us os abençoem grandemente em Nome de Jesus Cristo.

Do seu Pastor e amigo!

Anderson Magno - 24 de Janeiro de 2018

domingo, 18 de fevereiro de 2018

ASAS OU RAÍZES



Texto Motivador: Lucas 15. 11 – 31
INTRODUÇÃO: Já ouvimos muitas coisas sobre esse texto... Hoje! Não será diferente. Pois, o texto que acabamos de ler, vai nos dar uma direção em algo poderoso nesta noite.
Hoje vamos aprender a diferença de termos asas e raízes...
DESENVOLVIMENTO: Esse texto nos mostra, que um homem tinha dois filhos. O mais novo, desejou um dia ter asas... Ele queria voar e conhecer o mundo de tão forma que não se importou em pedir antecipado seus bens para o pai.
Que segundo o texto, o pai o entregou tudo aquilo que era seu. Porém, o texto mostra que esse filho mais novo, já com o dinheiro e os bens, mas mãos, ainda ficou na casa do seu.
Agora! Imagina você, desejar sair de casa, com dinheiro no bolso e com idade para curtir sua vida e ainda ficar naquele lugar ao qual você não deseja mais.
Situação difícil essa.
Porém, o texto mostra que esse jovem saiu e viveu a sua vida de maneira louca e sem direcionamento que o amanhã não existia. O tema dele era: Viva o hoje intensamente.
Ter asas é assim... Pois, com asas!Podemos escolher onde queremos pousar, então, ficar em algum lugar ou condição passa a ser uma opção e não a falta de opção. (Marcelo de Elias)
Entretando! Observa que esse filho com asas voou e mesmo com asas e com dinheiro, ele foi parar num chiqueiro. Que segundo o costume Judaico, era algo indigesto e tratar de porcos era algo absurdo, humilhante, rebaixava a pessoa... E ninguém queria.
PRESTE ATENÇÃO: A situação daquele jovem era tão feia que na hora da fome, a pessoa que estava trabalhando naquele chiqueiro, junto com esse jovem, preferiu dar comida para os porcos em vez dele.
Isso mostra a grande realidade de muitos que estão saindo da casa de D-us hoje... Vivem uma vida de desgraça, tristeza, angustia desprezo e solidão. Pois, a vida é assim... Na dificuldade as pessoas se unem e na grande dificuldade as pessoas se afastam. Instabilidade emocional acaba com a pessoa.
Então! Aprendemos aqui que: Viver fora da vontade de D`us e como tratar de porcos.
O filho mais velho... Já tinha raízes. Decidiu ficar na casa do seu pai e ficar ali fazendo seus afazeres. Porém, a motivação dele estava fora dos princípios e da honra.
Observa que no texto! Que o jovem decidiu voltar para da casa pai que lá, até os empregados tinham uma vida melhor... E quando ele chegou! O pai preparou uma grande festa e preparou um novilho.
O jovem estava com a cabeça no mundo... O mais velho! Com a cabeça no novilho, pois, olha o que ele explica para o pai: “Faz tantos anos que sirvo o senhor e nunca transgredi um mandamento seu. Mas o senhor nunca me deu um cabrito sequer para fazer uma festa com os meus amigos. Mas, quando veio esse seu filho, que sumiu com os bens do senhor, gastando tudo com prostitutas, o senhor mandou matar o bezerro gordo para ele!”
O nível espiritual que esse homem estava vivendo era de desonra... E não de fidelidade.
Muitos filhos de D`us são assim... Só desejam está na Casa d`Ele por interesse e não por honra.
CONCLUSÃO: A vida é uma constante tentativa de escolha entre ter raízes ou ter asas. (Guilherme Esteves)... A diferença aqui! Entre o filho mais novo e o filho mais velho era a decisão.

O filho mais velho... Ao falar do seu irmão mais novo para o pai, ele diz: esse seu filho.

Nesta casa entrou o desprezo... E toda vez que entra o desprezo na casa, algo ruim acontece. Já que esse filho mais velho nos mostra que ele se afastou, que o seu semblante mudou e a murmuração estava em seus lábios.

Já o filho mais novo, nos mostra que num momento de lucidez, ele deseja voltar para casa do seu pai e ser tratado como um dos empregados, diferente do seu irmão que ficou com motivações erradas e queria que pelo menos um novilho fosse morto para comemorar com seus amigos.

Qual é a sua motivação para estar na Casa de D`us?

Os dois filhos desprezaram o Pai... Mas, uma atitude muda tudo.

Mas, neste mesmo texto... Observamos o “Pai” acalmando seu filho mais velho e disse: “Meu filho, você está sempre comigo; tudo o que eu tenho é seu. Mas era preciso festejar e alegrar-se, porque este seu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.”
Muitas vezes... Pais e mães carnais e espirituais, muitas vezes, tem que acalmar conflitos familiares ao qual precisa ser resolvida. A diferença é! Com qual sabedoria vamos agir numa situação de conflito.

Três lições tiramos aqui:

Quando te derem asas... Voa com cuidado, pois, talvez possam pousar em chiqueiros.

Raízes! Sem profundidade... Não gera vida, não gera frutos e pode causar a morte.

Cuidado com o desprezo: Pois, tudo que desprezamos! Podemos perder.

O dinheiro ou os bens neste texto não mudou o caráter dos dois irmãos e muito menos do pai... O dinheiro ou os bens só revelou quem eles eram de verdade. Ou seja, o desejo de ganhar coisas potencializou o caráter dos filhos e o caráter do pai. 
           
O filho mais novo... Queria gastar tudo que era seu.

O mais velho... A vaidade de ser reconhecido e de receber honrarias.

O pai...Que sabe que tudo que ele fez, foi para seus filhos e mesmo perdendo uma parte dos seus bens, colocou o “amor e o cuidado” com eles acima de qualquer coisa.

Esse texto nos faz ter um nível profundo de reflexão e analisar sobre ter asas ou raízes.

Entretanto... O que vamos fazer com elas que é importante.

Onde está o seu coração?

Qual desses três personagens você se identifica?

Olha o que disse Salomão em Provérbios 30. 7 – 9: Eu te peço, ó Deus, que me dês duas coisas antes de eu morrer: não me deixes mentir e não me deixes ficar nem rico nem pobre. Dá-me somente o alimento que preciso para viver. Porque, se eu tiver mais do que o necessário, poderei dizer que não preciso de ti. E, se eu ficar pobre, poderei roubar e assim envergonharei o teu nome, ó meu Dos.

Às vezes, não sabemos lidar com os bens ou as bênçãos que adquirimos ou recebemos na casa que estamos. O nível da desonra muitas vezes podem nos levar para caminhos perigosos e se não tivermos vontade de arrumar as coisas ou de reconhecer os nossos erros, podemos morrer no físico, emocional e espiritual.

O diferencial do filho mais novo que ele teve força para voltar e desejou servir seu pai.
Já o irmão mais velho... Desejou se afastar e não aceitar a honraria que aquele pai estava preparando e fazendo para o seu irmão.

Já o pai... Preferiu reconciliar e mostrar aquilo que os uniam em vez daquilo que os separavam.

D`us nesta noite está nos pedindo um momento de reflexão e analise pessoal da nossa vida. O que pode está tentando roubar a presença de D`us em nossas vida.

Será que é a vontade de conhecer o mundo?

Será que é a vontade de ser reconhecido e ganhar honras? 

Será que é a vontade de voar... Mas, sem ter ainda a noção de onde quer pousar?

Será que é a vontade de pedir a herança antecipada?

Que D`us venha nos dar clareza e entendimento dessa palavra... Que possamos analisar a nossa vida e intimidade com Ele neste lugar e que acima de tudo, Ele venha soldar o nosso “coração” para saber o nível de fidelidade que desejamos caminhar com Ele.

Que o Eterno nos abençoe grandemente em Nome de Jesus Cristo... Amém e amém.