quinta-feira, 1 de maio de 2014

SER ENSINÁVEL... E ver em Jesus Cristo oculto dentro de mim - II


Texto motivador: Marcos 7. 24 – 30

 

Levantando-se, partiu dali para as terras de Tiro [e Sidom]. Tendo entrado numa casa, queria que ninguém o soubesse; no entanto, não pôde ocultar-se, porque uma mulher, cuja filhinha estava possessa de espírito imundo, tendo ouvido a respeito dele, veio e prostrou-se-lhe aos pés. Esta mulher era grega, de origem siro-fenícia, e rogava-lhe que expelisse de sua filha o demônio. Mas Jesus lhe disse: Deixa primeiro que se fartem os filhos, porque não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, porém, lhe respondeu: Sim, Senhor; mas os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem das migalhas das crianças.  Então, lhe disse: Por causa desta palavra, podes ir; o demônio já saiu de tua filha.  Voltando ela para casa, achou a menina sobre a cama, pois o demônio a deixara.

 

            Jesus Cristo é surpreendente e nos ensina em cada detalhe… Você é capaz de entender que Jesus foi um “religioso” da sua época? Como no caso desse encontro entre Ele e a mulher síro-fenícia em território estrangeiro. Jesus sabia que os fenícios sempre levaram vantagens sobre o povo da Galileia. E isso, sempre gerou um “ódio” oculto ou revelado por partes dos judeus da galileia. Porém, neste mesmo encontro, Jesus teve que superar as dificuldades da sobrevivência e da raiva que foi gerado durante anos e anos entre esses dois povos. Além de tudo, teve que perder o preconceito de conversar com uma mulher em público.

            Da mesma forma, essa mulher, que correu em direção a Jesus e se prostrou e Lhe chamou de Senhor, reconhecendo a Sua autoridade naquela terra, também teve que quebrar um preconceito de conversar e pedir ajuda para um Homem que pensava completamente diferente dela e do seu povo. Uma vez que, entendemos que, até então, salvação era coisa exclusiva dos Israelitas.

            E era impossível aceitar salvação a outra nação… E Jesus, sendo até então um “religioso” por assim entender, foi indiferente com essa mulher, que foi procurar ajuda para sua filha. Ou seja, uma cura. Ao pedir ajuda, ela recebeu a seguinte resposta de Jesus que surpreende qualquer um numa primeira leitura desse texto: Deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. (Marcos 7. 27).

            Essa resposta de Jesus mostra verdadeiramente a postura e a mentalidade do povo e também de Jesus na época. Antes desse maravilhoso encontro, podemos considerar Jesus até então um religioso e um conservador nato da lei e das tradições que foram ensinadas para Ele.

            O termo “cachorrinho” era considerado até então como um/a impuro/a e também simbolizada como prioridade do povo de Israel sobre os “gentios”. Portanto, o que vale lembrar aqui é que essa mulher não deixou que o orgulho e o preconceito vindo das duas partes o impedisse de buscar algo para a sua filha.

            E a coragem dela, ao reconhecer que Jesus é Senhor, de reconhecer que o povo de Israel tinha primazia, ou seja, superioridade e a dignidade que era legitimada há anos por essa nação… Sendo assim, podemos concluir que foi a existência dessa mulher que fez Jesus rever seus conceitos sobre prioridade e também salvação. Depois desse fato, claro que sabemos que aconteceu, essa menina foi “salva” foi “curada”.

            Uma vez que, já aprendemos que o termo salvação também está ligado com a área da saúde física e mental. Isto é, essa passagem, nos reflete a pensar no diálogo e no relacionamento com o outro que pensa e age diferente de nós. Jesus quebrou preconceitos e barreiras. Deu um passo importante para “salvar” o outro. Ou no caso desse texto, a outra. Que além de tudo, era uma criança.

            Que o exemplo de Cristo Jesus nos traga clareza ao acabar com preconceitos religiosos em nossas vidas. Jesus não teve medo de dialogar e de certa forma observar o comportamento das pessoas que pensavam diferente d`Ele.

            Jesus na verdade se deixou ensinar e ensinou também... Creio que o dialogo foi o grande exemplo para cada um/a de nós que acreditarmos no dialogo com aquele que pensam e age diferente de nós em todas as áreas. Uma vez que, a grande intenção de Deus e que todos/as fazem parte do Grande Banquete Celestial que vai ser lindo.

Ver em Jesus Cristo o homem oculto dentro de mim é uma frase que fez a diferença na minha vida e também ministério. Ao tentar descobrir algo para fazer em prol do Reino de Deus. Veio essa frase na minha cabeça e resolvi escrever um pouco sobre o homem oculto dentro de nós… Jesus Cristo na Sua grande sabedoria e Graça nos deu vários exemplo de tolerância e paciência com o próximo. Ele andando pelo "caminho" encontrou com varias pessoas que pensavam diferente d`Ele e algumas vezes foi questionado sobre o Seu ministério e de onde veio aquele Poder e Unção sobre a Sua vida.

Jesus Cristo, nada mais e nada menos caminhou com Seu Pai e nos mostrou que tinha o Coração ensinável... Fez e obedeceu tudo que estava designado para Ele fazer. Mesmo no momento de dificuldade e dor, não olhou para trás e deixou toda religiosidade e preconceitos cair por terra.

Porém, o foco desse pequeno comentário é observar o homem oculto e a mulher oculta dentro de nós... Deus conhece o nosso coração e mente. Ele sabe que pode pedir algo a mais para cada um de nós. E por isso, temos que nos colocar a disposição de ir em lugares que até então é ou era impossível para nós.  

Deus, nos chama para um diálogo com aqueles/as que estão fora do nosso contexto religioso, fora do nosso contexto doutrinário e principalmente com aqueles/as que pensam diferente de nós…

Assim, como Jesus se deparou com a mulher siro-fenícia  e ali houve um diálogo que mudou a vida d`Ele e também de toda humanidade, ao perceber que Deus deseja salvar aqueles e aquelas que estão fora do nosso grupo religioso e que pensam diferente de nós. Jesus Cristo parou e ouviu as pessoas. Descobriu que mesmo elas não fazendo parte do Seu grupo religioso, viu e observou algo de bom vinda da parte delas. E elas também descobriu algo de bom em Jesus e teve um encontro que mudou a sua vida e a sua realidade.

O pano de fundo dessa imagem é a convicção de que Deus deseja vida abundante para todos/as. Diferentemente, o egoísmo humano cria estratégias destrutivas que dão privilégio de lugar à mesa a uns poucos escolhidos e coloca o “resto” debaixo dela para comer as migalhas que caem no chão.

Inderjit Bhogal que é um pastor Metodista disse sobre esse texto o seguinte: O pano de fundo dessa imagem é a convicção de que Deus deseja vida abundante para todos/as. Diferentemente, o egoísmo humano cria estratégias destrutivas que dão privilégio de lugar à mesa a uns poucos escolhidos e coloca o “resto” debaixo dela para comer as migalhas que caem no chão.

Quando pensamos nesta frase, partimos de um pretexto de que, qual é a minha função neste mundo... Uma vez que, estamos cada dia mais e mais nos afastando das pessoas e vivendo uma religião mais exclusiva do que inclusiva. 

Por isso, devido alguns comportamentos que me fizeram refletir sobre a minha teologia e doutrina religiosa que Deus trouxe a minha memoria essa frase (ver em Jesus Cristo o homem oculto de mim) que durante muito tempo tem mexido comigo para que haja uma transformação sincera e honesta diante d`Ele e diante das pessoas que estão em minha volta.

Que o Eterno venha trazer clareza e entendimento todos os dias e momentos e que podemos refletir como anda o nosso comportamento com o próximo e com Deus…
 

ORE COMIGO: Deus de Amor e Cuidado, nos ensina a entender melhor a nossa função como luz e sal neste mundo. Tire as escanas dos nossos olhos e coloque mais amor e dedicação para com o outro. Ajuda-nos a entender cada dia mais e mais o SENHOR e nos ajude a compreender melhor que somos  Seus filhos queridos aqui na Terra para ajudar aqueles que estão perdidos e são alvos da nossa missão que é salvar todas as pessoas, uma vez que, entendo que a sua Graça e Soberana e Sobrenatural aos olhos humanos. 

 

Pastor Anderson Magno (Reflexão sobre dois textos ministrados e ministrado na reunião de jovens para o ARENA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário